Incidência de escoliose idiopática em uma escola pública do município de Suzano/SP

Autores

  • Marcella Lopes de Proença Universidade Braz Cubas – UBC – Mogi das Cruzes – SP.
  • Gabriela dos Santos Assis Universidade Braz Cubas – UBC – Mogi das Cruzes – SP.
  • Carlos Alberto dos Santos Universidade Braz Cubas – UBC – Mogi das Cruzes – SP.
  • Hebert Ailton Stefano da Silva
  • Laila Moussa Universidade Braz Cubas – UBC – Mogi das Cruzes – SP.

DOI:

https://doi.org/10.22298/rfs.2016.v4.n2.3230

Palavras-chave:

Capital Espiritual. Políticas de Gestão. Atendimento ao Cliente.

Resumo

Resumo

Introdução: O termo escoliose define-se como desvio lateral do plano frontal do corpo, associado ou não à rotação dos corpos vertebrais. Na infância iniciam-se os sinais da escoliose, que pode evoluir durante o crescimento e se instalar se não tratada. A fisioterapia ainda é pouco atuante no campo escolar, o que denota a necessidade de maior atenção. Objetivo: Avaliar a incidência de escoliose em crianças de uma escola Pública do Município de Suzano. Materiais e Métodos: Participaram do estudo crianças dos 6 aos 11 anos, ambos os Gêneros, matriculados em uma escola Pública do Município de Suzano. Uma palestra de orientação, foi ministrada para os responsáveis. Realizou-se uma avaliação postural através de uma ficha, contendo parâmetros relacionados à escoliose, uma Escala Facial de Dor e o teste de Adams. Os resultados foram tabulados através de dados estatísticos percentuais em planilha do programa Microsoft® Office Excel 2013. Resultados: Os resultados demonstram que 16,67% dos alunos avaliados tiveram teste de Adams positivo, apresentaram escoliose os alunos de todas as idades, prevalência no gênero masculino. Constatou-se que das crianças com assimetrias posturais, 16,82% relacionadas com escoliose e 57,94% possuíam assimetrias posturais sem escoliose. Considerações Finais: De acordo com os resultados encontrados pode-se afirmar a importância da avaliação postural em escolares para um diagnóstico precoce. O presente estudo realizou avaliação durante o período escolar, sem equipamentos de alto custo, tendo como principal método o teste de Adams e uma ficha de avaliação postural, comprovando ser possível a implantação da fisioterapia nas escolas, evitando assim, diagnósticos tardios.

Palavras Chave: Incidência; Escoliose; Criança.

Biografia do Autor

Marcella Lopes de Proença, Universidade Braz Cubas – UBC – Mogi das Cruzes – SP.

Acadêmica do curso de Fisioterapia da Universidade Braz Cubas – UBC – Mogi das Cruzes – SP.

Gabriela dos Santos Assis, Universidade Braz Cubas – UBC – Mogi das Cruzes – SP.

Acadêmica do curso de Fisioterapia da Universidade Braz Cubas – UBC – Mogi das Cruzes – SP.

Carlos Alberto dos Santos, Universidade Braz Cubas – UBC – Mogi das Cruzes – SP.

Fisioterapeuta. Mestre em ortopedia – UNIFESP. Profº do Curso de Fisioterapia da Universidade Braz Cubas - UBC – Mogi das Cruzes – SP.

Hebert Ailton Stefano da Silva

Fisioterapeuta. Especialista em Fisioterapia Cardiorrespiratória, ortopedia e musculoesquelético e Acupuntura.

Laila Moussa, Universidade Braz Cubas – UBC – Mogi das Cruzes – SP.

Fisioterapeuta. Mestre em Ciências do Movimento - UNG. Profª do Curso de Fisioterapia da Universidade Braz Cubas – UBC – Mogi das Cruzes – SP.

Downloads

Publicado

2017-05-29

Como Citar

DE PROENÇA, M. L.; ASSIS, G. dos S.; DOS SANTOS, C. A.; DA SILVA, H. A. S.; MOUSSA, L. Incidência de escoliose idiopática em uma escola pública do município de Suzano/SP. Revista FisiSenectus, Chapecó, Brasil, v. 4, n. 2, p. 3–11, 2017. DOI: 10.22298/rfs.2016.v4.n2.3230. Disponível em: http://bell.unochapeco.edu.br/revistas/index.php/fisisenectus/article/view/3230. Acesso em: 20 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos