A doença da Folha Verde do Tabaco e suas implicações para a saúde do trabalhador

Autores

  • Daniele Cristina Stormovski Universidade do Contestado.
  • Romário Henrique Basso Universidade do Contestado. Grupo de Pesquisa NUPESC.
  • Renata Campos Universidade do Contestado

DOI:

https://doi.org/10.22298/rfs.2018.v6.n1.3796

Palavras-chave:

Formação Docente. Arquitetura. Imaginário Social. Processos Criativos. Ensino.

Resumo

Introdução: A Doença da Folha Verde do Tabaco (DFVT) é a doença mais comum em fumicultores causada pela absorção da nicotina. A nicotina, presente na folha, é absorvida pela pele quando há contato com a folha molhada do tabaco, facilitada pela umidade da chuva ou pela umidade da transpiração. Assim que é absorvida, a nicotina entra na corrente sanguínea e é distribuída para todo o corpo, ocasionando sérios problemas à saúde do fumicultor. Objetivo: avaliar os efeitos da doença da Folha Verde do Tabaco na saúde do trabalhador. Material e Métodos: foram avaliados 51 fumicultores ativos, por meio de um questionário semiestruturado relacionado a sintomatologia, ao uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e as variáveis respiratórias, estas avaliaram a obstrução do fluxo e a capacidade inspiratória. Resultados: as variáveis respiratórias denotaram prejuízo da função pulmonar, evidenciado pelo Peak Flow, sendo de 291,96 ± 117,42 lpm (p=0,000), e da capacidade inspiratória, apresentando 2450,98 ±1058,74 ml (p=0,01). Foi observado, também, que grande parte dos participantes nunca sentiram sintomatologia referente à Doença da Folha Verde e faziam uso do equipamento de proteção individual durante o cultivo. Conclusão: foram encontradas agravantes em relação à função respiratória dos fumicultores, indicando prejuízo para a saúde desses trabalhadores.

Biografia do Autor

Daniele Cristina Stormovski, Universidade do Contestado.

Fisioterapeuta, graduada pela Universidade do Contestado (UnC). Atua na área de Dermato-funcional

Romário Henrique Basso, Universidade do Contestado. Grupo de Pesquisa NUPESC.

Acadêmico de Enfermagem, na Universidade do Contestado (UnC). Atua no Grupo de Pesquisa em Saúde Coletiva e Meio Ambiente (NUPESC).

Renata Campos, Universidade do Contestado

Fisioterapeuta. Doutora em Ciências da Saúde pela Universidade de São Paulo (USP). Líder do Grupo de Pesquisa em Saúde Coletiva e Meio Ambiente (NUPESC). Docente dos cursos da área da Saúde na Universidade do Contestado.

Downloads

Publicado

2018-12-05

Como Citar

STORMOVSKI, D. C.; BASSO, R. H.; CAMPOS, R. A doença da Folha Verde do Tabaco e suas implicações para a saúde do trabalhador. Revista FisiSenectus, Chapecó, Brasil, v. 6, n. 1, p. 30–37, 2018. DOI: 10.22298/rfs.2018.v6.n1.3796. Disponível em: http://bell.unochapeco.edu.br/revistas/index.php/fisisenectus/article/view/3796. Acesso em: 12 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos