Benefícios da cirurgia cardíaca na qualidade de vida de pacientes adultos e idosos

Autores

  • Débora D´Agostini Jorge Lisboa Universidade de Passo Fundo
  • Eliane Lúcia Colussi Universidade de Passo Fundo
  • Marlene Doring Universidade de Passo Fundo
  • Renato Ravizon Lisboa Universidade de Passo Fundo
  • Gabriela Colussi Universidade de Passo Fundo
  • Luana Battistella Universidade de Passo fundo
  • Indaiara Medeiros da Silva Hospital da Unimed/SC
  • Júlia Mognon Prefeitura de Bento Gonçalves/RS.
  • Isadora Rebolho Sisto Instituto de Cardiologista Porto Alegre/RS

DOI:

https://doi.org/10.22298/rfs.v6i2.4509

Resumo

Introdução: A cirurgia cardíaca é um tratamento efetivo na doença arterial coronariana. Esse tratamento proporciona melhora na qualidade de vida dos pacientes. O questionário de qualidade de vida SF-36 permite monitorar as condições de saúde antes e após o tratamento cirúrgico, sensível à melhora clínica. Objetivos: Avaliar o impacto da cirurgia cardíaca na qualidade de vida dos pacientes adultos e idosos. Métodos: Estudo de coorte prospectivo não controlado, realizado em dois hospitais de grande porte. A coleta ocorreu através do questionário SF-36, em três momentos distintos, pré, pós e três meses após o procedimento. Realizou-se análise descritiva e inferencial dos dados. O nível de significância foi de 0,05. Resultados: A amostra foi composta por 70 indivíduos. Na capacidade funcional, o escore da mediana pré foi de 40,0, pós 15,0 e seguimento 70,0. No domínio limitação por aspectos físicos, o escore da mediana no pré e pós foi zero e três meses foi 25,0. Em relação à dor, o escore da mediana pré 52,0, pós 32,0 e seguimento 62,0. Na vitalidade, o escore da mediana pré e pós foi 50,0 e seguimento três meses 70,0. No aspecto social, o escore da mediana pré foi 62,5, pós 50,0 e seguimento 87,5. A limitação por aspectos emocionais, o escore da mediana pré 33,3, pós zero e após três meses 100,0. Observou-se significância p<0,05 em todos os domínios avaliados. Conclusão: A cirurgia cardíaca tem um impacto positivo na qualidade de vida dos pacientes em todos os domínios avaliados, especialmente após três meses de procedimento.

Biografia do Autor

Débora D´Agostini Jorge Lisboa, Universidade de Passo Fundo

Fisioterapeuta. Mestre em Envelhecimento Humano pela Universidade de Passo Fundo (UPF-RS). Especialista em fisioterapia em Terapia intensiva. Fisioterapeuta e coordenadora do setor de fisioterapia do Hospital de Clínicas de Passo Fundo/RS. Docente do curso de fisioterapia da UPF-RS

Eliane Lúcia Colussi, Universidade de Passo Fundo

Historiadora. Doutora em História pela PUC-RS. Docente do curso de História e do Programa de Mestrado em Envelhecimento Humano da Universidade de Passo Fundo (UPF-RS).

Marlene Doring, Universidade de Passo Fundo

Enfermeira. Doutora em saúde pública. Docente do Programa de Mestrado em Envelhecimento Humano da Universidade de Passo Fundo (UPF-RS).

Renato Ravizon Lisboa, Universidade de Passo Fundo

Médico. Especialista em Medicina de Família e Comunidade pela Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC/AMB). Especialista em Clínica Médica pela SBCM/AMB. Médico clínico da Prefeitura Municipal de Passo Fundo/RS e da Prefeitura Municipal de Marau/RS.

Gabriela Colussi, Universidade de Passo Fundo

Psicóloga autônoma

Luana Battistella, Universidade de Passo fundo

Psicóloga autônoma

Indaiara Medeiros da Silva, Hospital da Unimed/SC

Fisioterapeuta no Hospital da Unimed/SC.

Júlia Mognon, Prefeitura de Bento Gonçalves/RS.

Fisioterapeuta da prefeitura de Bento Gonçalves/RS.

Isadora Rebolho Sisto, Instituto de Cardiologista Porto Alegre/RS

Fisioterapeuta. Mestre em ciências da reabilitação pela Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde
de Porto Alegre/RS (UFCSPA). Fisioterapeuta do Instituto de Cardiologista Porto Alegre/RS.

Downloads

Publicado

2019-06-14

Como Citar

JORGE LISBOA, D. D.; COLUSSI, E. L.; DORING, M.; LISBOA, R. R.; COLUSSI, G.; BATTISTELLA, L.; DA SILVA, I. M.; MOGNON, J.; SISTO, I. R. Benefícios da cirurgia cardíaca na qualidade de vida de pacientes adultos e idosos. Revista FisiSenectus, Chapecó, Brasil, v. 6, n. 2, p. 4–15, 2019. DOI: 10.22298/rfs.v6i2.4509. Disponível em: http://bell.unochapeco.edu.br/revistas/index.php/fisisenectus/article/view/4509. Acesso em: 13 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos