Avaliação do pico de fluxo expiratório em indivíduos pós acidente vascular cerebral - AVC

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22298/rfs.2020.v8.n1.5755

Palavras-chave:

Acidente Vascular Cerebral, Volume Expiratório Forçado, Debilidade muscular, Pressões Respiratórias Máximas

Resumo

 

Introdução: O Acidente Vascular Cerebral (AVC) é uma afecção neurológica caracterizada por déficit de oxigênio e nutrientes ao cérebro. Indivíduos pós AVC tendem a ter fraqueza da musculatura respiratória, repercutindo em diminuição das capacidades e volumes pulmonares. Objetivo: avaliar o Pico de Fluxo Expiratório (PFE) desses indivíduos. Metodologia: trata-se de um estudo transversal, observacional, descritivo e quantitativo, que mensurou o PFE de moradores da cidade de Beberibe (CE) com diagnóstico clínico de AVC. A população abrangeu indivíduos pós AVC, moradores da cidade de Beberibe (CE). A amostra foi constituída por dez participantes. Participaram do estudo, pessoas com diagnóstico confirmado de AVC, com pelo menos seis meses de acometimento, cognitivo preservado, independente do sexo, idade igual e/ou acima de 55 anos, ausência de afecções respiratórias associadas, ou neurológicas que comprometessem o cognitivo, não fumantes ativos. Foram excluídos indivíduos que faziam uso de medicamentos com ação respiratória, restritos ao leito, e que atualmente participavam de algum tratamento fisioterapêutico. A mensuração do PFE foi feita através do Peak Flow Meters. Os dados obtidos foram analisados por meio de estatística descritiva, “teste t de Student” e regressão linear e foram tabulados em tabelas. Resultados: percebe-se um predomínio de AVC Isquêmico, homogeneidade de gênero, hipertensão arterial sistêmica como comorbidade mais prevalente; os valores de PFE da amostra feminina e masculina demonstraram-se estatisticamente significativo (p< 0,002) quando comparados aos valores de referência. Conclusão: nessa amostra de indivíduos com AVC crônico, houve redução estatisticamente significativa do PFE.

Biografia do Autor

Sr. Lucas Ewerton, Faculdade do Vale do Jaguaribe

Bacharel em Fisioterapia pela Faculdade do Vale do Jaguaribe, Pós graduando em Saúde Pública pela Faculdade de Venda Nova do Imigrante – FAVENI.

Sra. Stélane, Unichisthus

Bacharel em Fisioterapia pela Faculdade do Vale do Jaguaribe, Pós Graduanda em Terapia intensiva pela Unichisthus.

Sra. Abigail Ada , Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Bacharel em Fisioterapia pela Faculdade do Vale do Jaguaribe, Cursando Residência Multiprofissional em Saúde da Família - UERN – PMM.

Sra. Ilamara Raniere, Universidade Anhanguera

Bacharel em Fisioterapia pela Faculdade do Vale do Jaguaribe – FVJ, Pós graduanda em Fisioterapia cardiorrespiratória pela Universidade Anhanguera

Sr. Roque Ribeiro , Faculdade do Vale Do Jaguaribe - FVJ

Bacharel em Fisioterapia pela Faculdade do Vale do Jaguaribe

Sra. Magna Lorena, Faculdade do Vale do Jaguaribe- FVJ

Bacharel em Fisioterapia pela Universidade Potiguar (UnP), Pós graduanda em Traumato-Ortopedia pela Faculdade do Vale do Jaguaribe.

Downloads

Publicado

2020-11-03 — Atualizado em 2020-11-04

Como Citar

GOMES, L. E. R. .; ALBUQUERQUE, S. C.; DA SILVA, A. A. B. .; MARTINS, I. R. T. .; DA SILVA JUNIOR, R. R. .; DA SILVA, M. L. N. Avaliação do pico de fluxo expiratório em indivíduos pós acidente vascular cerebral - AVC . Revista FisiSenectus, Chapecó, Brasil, v. 8, n. 1, p. 155–168, 2020. DOI: 10.22298/rfs.2020.v8.n1.5755. Disponível em: http://bell.unochapeco.edu.br/revistas/index.php/fisisenectus/article/view/5755. Acesso em: 21 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos