DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL, BURNOUT E CIDADANIA ORGANIZACIONAL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22277/rgo.v14i3.5619

Resumo

Esta pesquisa objetivou analisar, no contexto da indústria cervejeira, a relação entre a síndrome de Burnout, as oportunidades de desenvolvimento profissional proporcionadas pelas organizações a seus funcionários e o comportamento de cidadania organizacional. Como método de pesquisa, empregou-se a survey, coletando-se dados junto a uma amostra composta por 384 funcionários de cervejarias multinacionais. Para análise, utilizou-se a técnica de Modelagem de Equações Estruturais. Analisando os resultados, constatou-se que, ao fornecer condições para que os funcionários das indústrias cervejeiras se desenvolvam, eles tendem a retribuir comportando-se como cidadãos organizacionais, além de estarem menos sujeitos a desenvolver a síndrome de Burnout. Complementarmente, confirmou-se que, entre os participantes da pesquisa, a síndrome de Burnout leva à redução da cooperação espontânea e da disposição de defender a imagem da organização.

Biografia do Autor

Harrison Bachion Ceribeli, Universidade Federal de Ouro Preto

Doutor em Administração pela Universidade de São Paulo (FEARP/USP)

 Professor Adjunto da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP)

Vice-diretor do Instituto de Ciências Sociais Aplicadas (ICSA-UFOP)

Joice Rayra Vieira Diniz, Universidade Federal de Ouro Preto

Graduada em Administração pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP)

Raoni de Oliveira Inácio, Universidade Federal de Ouro Preto

Doutor em Administração pela Fundação Getúlio Vargas (EAESP/FGV)

Professor Adjunto da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP)

Israel José dos Santos Felipe, Universidade Federal de Ouro Preto

Doutor em Administração pela Fundação Getúlio Vargas (EAESP/FGV)

Professor Adjunto da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP)

Publicado

2021-07-28