A INTRODUÇÃO E DISTRIBUIÇÃO DO TUCUNARÉ-AZUL E DO TAMBAQUI NO PANTANAL CORUMBAENSE

Autores

  • Renner Fernando da Silva Cordova Junior Instituto Federal de Mato Grosso do Sul.

DOI:

https://doi.org/10.24021/raac.v19i1.6008

Palavras-chave:

Peixes amazônicos. Rio Paraguai. Invasão.

Resumo

O Pantanal possui características únicas, porém similares à Bacia Amazônica, principalmente no que tange os ciclos de cheias em ambas as regiões. Tais semelhanças permitiram que espécies de peixes introduzidas como o tucunaré-azul (Cichla piquiti) e o tambaqui (Colossoma macropomum) se desenvolvessem na região pantaneira após escape de tanques, escavados na década de 1980. Neste sentido, foi realizada a averiguação da ocorrência de tais espécies nos principais pontos de pesca, no rio Paraguai, partindo da cidade de Corumbá, na planície pantaneira. Nos pontos analisados, foi feita pesca de exemplares com a utilização de apetrechos de pesca permitidos pela legislação vigente para a pesca amadora, considerando o esforço de pesca de oito horas por dia de campanha amostral, totalizando sete campanhas e 56 horas de esforço amostral entre 2018 e 2019. Os resultados apontam que o tucunaré já se encontra amplamente espalhado na planície pantaneira, já o tambaqui ainda se mantém restrito à algumas baías. Sendo assim, é necessário que haja um monitoramento das espécies e estudos comportamentais desses espécimes para compreender e mitigar os impactos da sua introdução em tão importante planície.

Biografia do Autor

Renner Fernando da Silva Cordova Junior, Instituto Federal de Mato Grosso do Sul.

Professor EBTT de Biologia, Mestre em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional, e Especialista em Educação, Pobreza e Desigualdade Social.

Publicado

2021-11-30

Edição

Seção

Dossiê: Recursos hídricos: gestão, tecnologias e biodiversidade