DIFERENTES PROPORÇÕES DE LODO DE ESGOTO NA QUALIDADE DE MUDAS Schinus terebinthifolius RADDI

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24021/raac.v20i1.6579

Palavras-chave:

Nutrientes minerais, Substratos, Características morfológicas, Anacardiaceae.

Resumo

Considerando o problema do tratamento final do esgoto e a necessidade crescente de produção de mudas florestais, este estudo objetivou avaliar o efeito de diferentes substratos contendo Lodo de Esgoto (LE) na produção de mudas de Schinus terebinthifolius Raddi. Quatro tratamentos foram implementados contendo diferentes proporções de LE. Após 180 dias de semeadura, foram avaliados macro e micronutrientes das mudas, assim como medidas morfométricas. Também, o Índice de Qualidade de Dickson (IQD) foi calculado, quantificando o teor de macro e micronutrientes da raiz e parte aérea. Nossos resultados mostraram um aumento nos níveis de Zn, Cu, Fe e Mn nos substratos testados com a adição de LE. Para as mudas dispostas aos tratamentos com LE, ocorreu um acúmulo de macronutrientes no sistema radicular na ordem N>K>Ca>P>Mg>S e na parte aérea Ca>N>K>Mg>P>S. Para os micronutrientes, o acúmulo no sistema radicular ocorreu Fe>Zn>Mn>B>Cu e na parte aérea Fe>Mn>Zn>B>Cu. S. terebinthifolius mostrou eficácia para a produção de mudas de qualidade com os tratamentos compostos de 40% LE + 60% composto orgânico e 60% LE + 40% composto orgânico. Assim, a utilização de LE como substrato se mostrou eficiente na obtenção de mudas viáveis para o plantio no campo.

Publicado

2022-12-01

Edição

Seção

Artigos