GROWTH AND DEVELOPMENT OF DWARF BUTIA SEEDLINGS (Butia lallemantii): SUBSTRATE AND PROPAGULE SIZE

Autores

  • Luciana Pinto Paim UFRGS
  • Eduarda Demari Avrella UFRGS
  • Gian Carlos Gonçalves UFRGS
  • Marília Lazarotto UFPEL
  • Claudimar Sidnei Fior UFRGS

DOI:

https://doi.org/10.24021/raac.v19i1.6595

Palavras-chave:

Hábito de crescimento cespitoso. Palmeira nativa. Recuperação de áreas degradadas. Produção de mudas.

Resumo

Butia lallemantii é uma palmeira de hábito cespitoso e caule subterrâneo, apresentando propagação assexuada. No entanto, faltam estudos relacionados às práticas de produção de mudas. O objetivo foi avaliar o crescimento e o desenvolvimento de plantas de Butia lallemantii submetidas a formulações de substratos e diâmetros de estipe. Mudas foram classificadas em duas classes de diâmetro de estipe (CDE) e dispostas nos seguintes substratos: comercial (CM); casca de arroz carbonizada (CAC); e CAC + pó de coco (CAC + PC - 1:1, v/v). Foram avaliados: número de perfilhos e de folhas pinadas (NFP), e ao final: comprimento, volume, massa fresca e seca de raízes e porcentagem de folhas vivas, durante 570 dias. Delineamento experimental foi inteiramente casualizado em esquema bifatorial (2x3), com quatro repetições. Não houve interação entre o substrato e os fatores de CDE para as variáveis ​​do sistema foliar, entretanto, interação foi observada em todas as variáveis ​​do sistema radicular. A classe 2 apresentou resultados superiores para NFP, e não houve substrato com variância significativa. No sistema radicular: a classe 2 e o substrato CAC permitiram resultados superiores. Portanto, os substratos CAC associados à classe 2 são adequados para o desenvolvimento de mudas de Butia lallemantii.

Biografia do Autor

Luciana Pinto Paim, UFRGS

Engenheira Agrônoma formada pela Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA). Mestre e Doutora em Fitotecnia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Eduarda Demari Avrella, UFRGS

Engenheira Florestal formada pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Mestre e Doutora em Fitotecnia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Gian Carlos Gonçalves, UFRGS

Graduando no curso de Agronomia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Marília Lazarotto , UFPEL

Formada em Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Santa Maria - UFSM, Mestre em Engenharia Florestal (bolsista Capes), pela UFSM, doutor em Engenharia Florestal (bolsista Capes), pela UFSM, na área de Silvicultura - Fitopatologia Florestal. Professora adjunta do Centro de Engenharias da Universidade Federal de Pelotas.

Claudimar Sidnei Fior, UFRGS

Formado em Agronomia e doutorado em Fitotecnia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professor adjunto do Departamento de Horticultura e Silvicultura e do Programa de Pós-graduação em Fitotecnia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 

Publicado

2021-12-10