EFEITOS DE DIFERENTES TIPOS DE USOS DE SOLO NA COMUNIDADE DE MACROINVERTEBRADOS BENTÔNICOS EM RIACHOS SUBTROPICAIS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24021/raac.v20i1.6643

Palavras-chave:

Ecossistemas de água doce. Invertebrados aquáticos. Lajeado São José. Ambientes lóticos.

Resumo

Ecossistemas de água doce são pontos críticos para o desenvolvimento humano. No entanto, os diferentes tipos de uso do solo (ex. urbano e rural) causam grandes modificações (ex. remoção da mata ciliar, assoreamento do leito dos rios, descarga de efluentes industriais) no entorno destes ecossistemas de água doce. Consequentemente, a biodiversidade dependente destes ecossistemas vem sofrendo grandes perdas. Especialmente, as comunidades de macroinvertebrados bentônicos, que por serem sensíveis a fontes poluidoras, podem ser utilizados como bioindicadores da qualidade da água. Assim, o presente artigo objetiva avaliar o efeito dos diferentes usos do solo na comunidade de macroinvertebrados bentônicos em riachos subtropicais. O estudo foi realizado em riachos de primeira e segunda ordem, da microbacia do Lajeado São José, Chapecó-SC, Brasil. Ao todo, investigamos quatro riachos urbanos, dois rurais e três naturais. Foram coletados 496 indivíduos, os maiores valores de riqueza foram observados em riachos de zonas naturais (8,33±4,72), seguido de áreas rurais (7,00±4,24) e áreas urbanas (4,00±1,82). Os maiores valores de abundância foram observados zonas urbanas (61,75±84,71), seguido de rurais (46,0±52,32) e áreas naturais (23,66±17,50). Por fim, constatamos que os diferentes usos do solo influenciaram negativamente na qualidade ambiental e na comunidade de macroinvertebrados bentônicos.

Publicado

2022-12-01

Edição

Seção

Artigos