WATER QUALITY MONITORING AS A TOOL FOR SUSTAINABLE MANAGEMENT OF THE UPPER PARAÍBA RIVER COURSE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24021/raac.v19i1.6678

Palavras-chave:

Recursos hídricos. Semiárido.Transposição de bacias.

Resumo

No semiárido nordestino as características climáticas e as pressões socioeconômicas associadas ao uso da água, contribuem para alterar a quantidade e a qualidade dessas águas nas bacias hidrográficas. Como alternativa para minimizar os problemas de déficit hídrico foi implantado o Projeto de Integração do rio São Francisco, que visa levar água da Bacia do rio São Francisco às bacias em quatro estados brasileiros, por meio dos Eixos Leste e Norte. Nesta pesquisa foi analisada a qualidade da água no Alto Curso do rio Paraíba, no Eixo Leste, através da avaliação dos parâmetros físico-químicos da água e dos índices de qualidade de água e de estado trófico, antes e após início da operação do projeto de integração. Entre os parâmetros analisados, o fósforo total, nitrogênio total, sólidos dissolvidos totais e demanda bioquímica de oxigênio, predominaram fora dos limites recomendados pela Legislação brasileira, tanto sazonalmente como ao longo do trecho estudado. Para os índices de qualidade de água e de estado trófico predominaram as classificações Boa e Eutrófica, respectivamente. A redução da vazão influenciou negativamente a qualidade da água. Com relação à chegada das águas do Projeto de Integração foi observado decréscimo na concentração do fósforo, clorofila-α e sólidos dissolvidos totais.

Biografia do Autor

Ariane Silva Cardoso, Universidade Federal de Pernambuco

Doutoranda em Engenharia Civil - Tecnologia Ambiental e Recursos Hídricos pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Mestre em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e em Engenharia Ambiental pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Especialista em Gestão Ambiental e Recursos Hídricos pela Faculdade São Luis de França. Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Experiência na área de Botânica, qualidade da água e Recursos Hídricos, atuando nos seguintes temas: monitoramento ambiental e recursos hídricos, bioindicadores da qualidade da água, identificação e contagem de fitoplâncton, ecotoxicologia, impactos ambientais em rios e reservatórios e modelagem da qualidade da água.

Érika Alves Tavares Marques, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)

Doutora da Universidade Federal de Pernambuco do Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente, Mestre em Tecnologia Ambiental pelo Instituto de Tecnologia de Pernambuco. Especialização em Gestão e Controle Ambiental pela Universidade de Pernambuco. Graduada em Licenciatura Plena em Ciências Biológicas pela Universidade Federal Rural de Pernambuco. Experiência na área de limnologia, atuando nos seguintes temas: monitoramento ambiental e recursos hídricos e bioindicadores da qualidade da água em rios e reservatórios.

André Luiz Nunes Ferreira, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)

Possui graduação em Ciencias Biológicas (Bacharelado) pela Universidade Federal de Pernambuco, mestrado em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Pernambuco e Doutorado em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Pernambuco. Atualmente é Servidor do Instituto Federal de Pernambuco. Experiência na área de Ecologia, qualidade da água e Recursos Hídricos, atuando nos seguintes temas: monitoramento ambiental e recursos hídricos, bioindicadores da qualidade da água em rios e reservatórios no semiárido.

Maria do Carmo Martins Sobral, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)

Engenheira civil pela UFPE, especialista em Planejamento Urbano e Regional pela Universitat Dortmund, Alemanha, mestre em Engenharia Civil (Recursos Hídricos), pela University of Waterloo, Canadá. Doutora em Planejamento Ambiental pela TU, Berlim, Alemanha. Pós-doutorado em Tecnologia Ambiental pela TU, Berlim, Alemanha; em Gestão de Recursos Hídricos pelo Instituto de Educação para Água (IHE, Unesco), Holanda e em Planejamento Urbano e Ambiental pela Universidade Metropolitana de Oslo (OSLOMET), Noruega. Vice-presidente da Rede Brasil-Alemanha para Internacionalização do Ensino Superior (Rebralint), membro da Academia Pernambucana de Ciências (APC), Academia Pernambucana de Engenharia (Apeeng) e da Comissão de Pós-graduação (CPPG). Docente permanente do Programa de Pós-graduação em Engenharia Civil (PPGEC), na área de tecnologia e gestão ambiental e no Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente (Rede Prodema). Professora titular do Departamento de Engenharia Civil e Ambiental, tendo sido subchefe do Departamento e Coordenadora do programa de Pós-graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento (Prodema) da UFPE. Na Capes, foi membro do Conselho Técnico Científico do Ensino Superior, Coordenadora da Comissão de Meio Ambiente e Agrárias da Área Interdisciplinar e da Área de Ciências Ambientais, bem como coordenadora geral de projetos da Diretoria de Relações Internacionais. Tem experiência na área de engenharia ambiental, atuando principalmente nos seguintes temas: avaliação de impactos ambientais, gestão de bacias hidrográficas, qualidade da água, indicadores de sustentabilidade, planejamento e gestão ambiental.

Arisvaldo Vieira Méllo Junior , Universidade de São Paulo (USP)

Possui graduação em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal de Lavras, e em Engenharia Sanitária e Ambiental pelo Centro Universitário das Faculdades metropolitanas Unidas, mestrado em Agronomia (Irrigação e Drenagem) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, doutorado e pós-doutorado em Engenharia de Recursos Hídricos pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (1996 e 2000). Foi Professor Adjunto da Universidade Federal de Sergipe e atualmente é Professor da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Engenharia de Recursos Hídricos e Engenharia Ambiental, atuando principalmente nos seguintes temas: modelagem hidrológica, sistema de suporte a decisão, gestão e planejamento de recursos hídricos, manejo de bacias hidrográficas, alocação de água, qualidade da água e análise de sistemas de recursos hídricos. 

Anthony Epifanio Alves, Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE)

Mestre em Engenharia Ambiental e Bacharel em Ciências Biológicas pela Universidade Federal Rural de Pernambuco, com experiência em monitoramento e ecologia de reservatórios, Zoologia de Invertebrados e estudos ecotoxicológicos atuando principalmente nos seguinte temas: Recursos hídricos, Limnologia, Zoobentos e Zooplâncton de águas continentais e Ensaios ecotoxicológicos.

Publicado

2022-08-11