A queixa da falta de memória no tratamento fisioterapêutico: a percepção de idosas

The complaint of lack of memory in physiotherapy treatment: the perception of elderly women

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22298/rfs.2022.v10.n1.7331

Palavras-chave:

Transtornos da Memória. Idoso. Fisioterapia.

Resumo

Introdução: Entre os sintomas da percepção subjetiva do declínio cognitivo, está a queixa da falta de memória. É importante sua avaliação qualitativa, visto que o fator psicológico e a forma com que o idoso lida com os declínios funcionais possuem influência na prevenção de doenças e na adesão aos tratamentos. Objetivo: Conhecer e compreender se a queixa de falta de memória influencia o tratamento fisioterapêutico de idosas atendidas em um Centro de Reabilitação Física. Materiais e Métodos: Estudo descritivo exploratório de caráter qualitativo. A população do estudo foi composta por idosas acima de 60 anos que apresentavam alteração da função cognitiva, verificada por meio do Miniexame do Estado Mental (MEEM). A coleta de dados foi feita por meio de uma entrevista semiestruturada, com áudio gravado, baseada na seguinte pergunta orientadora: “Para você, a queixa da falta de memória afeta seu tratamento fisioterapêutico?”. No caso de resposta negativa ou afirmativa, foi dito: “Fala-me mais sobre isso”. Resultados: Dezenove mulheres foram entrevistadas, a maioria delas afirmou que a queixa da falta de memória não influencia o tratamento fisioterapêutico. Conclusões: Para o fisioterapeuta, é relevante adicionar em sua avaliação rotineira do paciente idoso uma avaliação cognitiva, por meio de escalas e instrumentos específicos; e adicionar em seu plano de condutas, seja para prevenção ou tratamento das queixas de falta de memória, os treinos cognitivos, visto que podem auxiliar os idosos com esses sintomas a melhorar o desempenho e adesão às abordagens da fisioterapia.

Biografia do Autor

Thais Schemberger Favarin, Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE)

Graduada em Fisioterapia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná.

Rafaela Gulhak Moretto, Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE)

Graduada em Fisioterapia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná.

Camila Costanaro, Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE)

Graduanda em Fisioterapia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná.

Vilmar Malacarne, Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE)

Professor Doutor, do Colegiado de Pedagogia, Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE), Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática (PPGECEM) da Universidade Estadual do Oeste do Paraná.

Keila Okuda Tavares, Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE)

Professora mestre, do curso de Fisioterapia da Universidade Estadual do Oeste do Paraná. 

Publicado

2022-12-20

Como Citar

SCHEMBERGER FAVARIN, T. .; GULHAK MORETTO, R.; COSTANARO, C.; MALACARNE, V. .; OKUDA TAVARES, K. A queixa da falta de memória no tratamento fisioterapêutico: a percepção de idosas: The complaint of lack of memory in physiotherapy treatment: the perception of elderly women . Revista FisiSenectus, v. 10, n. 1, p. 59-72, 20 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos