“O TRABALHO É SÓ VEÍCULO PARA DINHEIRO”: UMA ANÁLISE PSICODINÂMICA EM UM TRIBUNAL DE JUSTIÇA

Autores

  • Edna de Oliveira Brüning Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
  • Monique Nascimento Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Brasil http://orcid.org/0000-0003-1862-4295
  • Eloise Helena Livramento Dellagnelo Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

DOI:

https://doi.org/10.22295/grifos.v32i58.6626

Palavras-chave:

Sofrimento no Trabalho. Psicodinâmica do Trabalho. Gestão de Pessoas. Tribunal de Justiça.

Resumo

Refletiu-se, neste estudo, sobre as vivências de sofrimento de profissionais da área de gestão de pessoas de um tribunal de justiça, tendo por base a aplicação do Inventário de Riscos de Sofrimento Patogênico no Trabalho (IRIS) e de entrevistas semiestruturadas. Para tanto, analisou-se as experiências de sofrimento destes trabalhadores à luz da psicodinâmica do trabalho. Percebeu-se que estas podem ser relacionadas às condições de trabalho a que estes trabalhadores estão submetidos, bem como à inexistência de identificação com o trabalho e a compreensão deste enquanto meio de subsistência, circunstância que pode dificultar a intensificação de processos sublimatórios e a subversão do sofrimento em prazer.

Biografia do Autor

Edna de Oliveira Brüning, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Graduada em Administração pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Monique Nascimento, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Brasil

Doutoranda em Administração na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Brasil

Eloise Helena Livramento Dellagnelo, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Professora pelo Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal de Santa Catarina (PPGA/UFSC)

Referências

AMARAL, G. A. MENDES, A. M. B.; CHATELARD, D. S. CARVALHO, I. S. O Lugar do Conceito de Sublimação na Psicodinâmica do Trabalho. Revista Polis e Psique, Porto Alegre, v. 7, n. 3, p. 200–223, 2017.

BENDASSOLLI, P. F.; SOBOLL, L. A. P. Clínicas do trabalho: novas perspectivas para compreensão do trabalho na atualidade. São Paulo: Atlas, 2011.

BRASIL. Ministério da Fazenda. 1º Boletim Quadrimestral sobre Benefícios por Incapacidade. Adoecimento Mental e Trabalho: A concessão de benefícios por incapacidade relacionados a transtornos mentais e comportamentais entre 2012 e 2016. Brasília: Ministério da Fazenda, 2017.

CANÇADO, V. L; SANT’ANNA, A. de S. Mecanismos de Defesa. In: VIEIRA, F. de O.; MENDES, A. M.; MERLO, A. R. C. (Org.). Dicionário crítico de gestão e psicodinâmica do trabalho. Curitiba: Juruá, 2013. p. 249- 254.

COSTA, S. H. B. Trabalho Prescrito e Trabalho Real. In: VIEIRA, F. de O.; MENDES, A. M.; MERLO, A. R. C. (Org.). Dicionário crítico de gestão e psicodinâmica do trabalho. Curitiba: Juruá, 2013. p. 467- 471.

DEJOURS, C. Uma nova visão do sofrimento humano nas organizações. In: CHANLAT, J. F. (Org.). O sujeito na organização: dimensões esquecidas. São Paulo: Atlas, 1992, p.149-173.

DEJOURS, J. C. O fator humano. Rio de janeiro: FGV, 1997.

DEJOURS, J. C. A banalização da injustiça social. 2ª ed. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1999.

DEJOURS, J. C. Subjetividade, trabalho e ação. Revista de Produção. São Paulo, Universidade de São Paulo, v.14, n.3 pp. 27-34, set/dez. 2004.

DEJOURS, J. C. Nouvelles formes de servitude et suicide. Revue Internacionale de Psychopathologie et de Psychodinamique du travail, Paris, v.13, n 1, p. 53-73, 2005.

DEJOURS, J. C. Avaliação do trabalho submetida à prova do real: Crítica aos fundamentos da avaliação. São Paulo: Blucher, 2008a.

DEJOURS, J. C. Da psicopatologia à psicodinâmica do trabalho. LANCMAN, S; SZNELWAR, L. I. (Orgs.). Christophe Dejours: Da psicopatologia à psicodinâmica do trabalho. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2008b.

DEJOURS, J. C. Trabalho vivo: Trabalho e emancipação (Tomo II). Brasília: Paralelo 15, 2012.

DEJOURS, J. C. A Sublimação, entre prazer e sofrimento no trabalho. Revista Portuguesa de Psicanálise. Lisboa, v.33, n.2, p.9-28, 2013.

DEJOURS, J. C.; ABDOUCHELI, E.; JAYET, C. Psicodinâmica do trabalho: contribuições da escola Dejouriana à análise da relação prazer, sofrimento e trabalho. 1ª Edição. São Paulo: Atlas, 2014.

FERREIRA, J. B. Patologias da Solidão. In: VIEIRA, F. de O.; MENDES, A. M.; MERLO, A. R. C. (Org.). Dicionário critico de gestão e psicodinâmica do trabalho. Curitiba: Juruá, 2013a. p. 275- 279.

FERREIRA, J. B. Real do Trabalho. In: VIEIRA, F. de O.; MENDES, A. M.; MERLO, A. R. C. (Org.). Dicionário critico de gestão e psicodinâmica do trabalho. Curitiba: Juruá, 2013b. p. 341- 350.

FREUD, A. O Ego e os Mecanismos de Defesa (1946). Porto Alegre: Artmed, 2006.

FREUD, S. O Mal-estar na Civilização (1930). In: Obras completas – O Mal-estar na Civilização, Novas conferências introdutórias e Outros Textos (1930-1926). São Paulo: Companhia das Letras, 2010. v.18.

GARCIA, W. I.; MORAES, R. D. Análise psicodinâmica do trabalho no judiciário: do colonialismo ao produtivismo. EDUCAmazônia, v. 11, n. 1, p. 282-296, 2013. Disponível em: <https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=4710302>. Acesso em: 8 nov. 2018.

GOMES, M. L. B. de M.; CRUZ LIMA, S. C.; MENDES, Ana Magnólia. Experiência em clínica do trabalho com profissionais de T&D de uma organização pública. Estudos e Pesquisas em Psicologia, v. 11, n. 3, p. 841-855, 2011.

LIMA, S. C. C. Reconhecimento no Trabalho. In: VIEIRA, F. de O.; MENDES, A. M.; MERLO, A. R. C. (Org.). Dicionário crítico de gestão e psicodinâmica do trabalho. Curitiba: Juruá, 2013. p. 351-355.

MARZANO, M. Travail et compulsif apagamento de la subjectivité: L'hyperactivité comme fuite. Travailler, Paris, v 1, n. 11, p. 7-24, 2004.

MENDES, A. M. Aspectos psicodinâmicos da relação homem-trabalho: as contribuições de C. Dejours. Psicologia, Ciência e Profissão, Brasília, v 15, n.1, p. 34 – 38, 1995.

MENDES, A. M. (org.). Psicodinâmica do trabalho: teoria, método e pesquisas. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2007.

MENDES, A. M. Prazer, Reconhecimento e Transformação do Sofrimento no Trabalho. In: MONTEIRO, J. K; VIEIRA, F. O.; MENDES, A. M. (Orgs). Trabalho e Prazer: teoria, pesquisas e práticas. Curitiba: Juruá, 2011. p. 13-25.

MENDES, A. M. Escuta Analítica do Sofrimento e o Saber-fazer do Clínico do Trabalho. In: MENDES, A. M.; MORAES, R. D.; MERLO, A. R. C. (Orgs). Trabalho e Sofrimento: práticas clínicas e políticas. Curitiba: Juruá, 2014. p. 65-80.

MENDES, Ana Magnólia; ARAÚJO, Luciane Kozicz Reis. Clínica psicodinâmica do trabalho: o sujeito em ação. Curitiba: Juruá, 2012.

MENDES, A. M.; DUARTE, F. S. Mobilização subjetiva. In: VIEIRA, F. de O.; MENDES, A. M.; MERLO, A. R. C. (Org.). Dicionário crítico de gestão e psicodinâmica do trabalho. Curitiba: Juruá, 2013. p. 259- 262.

MERLO, A. R. C. Psicodinâmica do trabalho. In: JACQUES, M. da G. C.; CODO, W. (orgs). Saúde mental & trabalho: leituras. São Paulo: Vozes, 2002. p. 130-142.

MERLO, A. R. C. Espaço Público de Discussão. In: VIEIRA, F. de O.; MENDES, A. M.; MERLO, A. R. C. (Org.). Dicionário crítico de gestão e psicodinâmica do trabalho. Curitiba: Juruá, 2013. p.147-152.

MORAES, R. D. de. Estratégias Defensivas. In: VIEIRA, F. de O.; MENDES, A. M.; MERLO, A. R. C. (Org.). Dicionário crítico de gestão e psicodinâmica do trabalho. Curitiba: Juruá, 2013a. p. 153 - 157.

MORAES, R. D. de. Sofrimento Criativo e Patogênico. In: VIEIRA, F. de O.; MENDES, A. M.; MERLO, A. R. C. (Org.). Dicionário crítico de gestão e psicodinâmica do trabalho. Curitiba: Juruá, 2013b. p. 415 - 419.

MORAES, R.D.; GARCIA, W. I.; CARVALHO, G. M.; MOURA, P. M.; A Busca da Subversão do Sofrimento em Prazer no Trabalho: Pesquisas no Tribunal de Justiça do Amazonas. In: MONTEIRO, J. K.; VIEIRA, F. de O.; MENDES, A. M. (Org.). Trabalho e Prazer: teoria, pesquisas e práticas. Curitiba: Juruá, 2015. p. 151 - 173.

SANTA CATARINA. Tribunal de Justiça. Resolução TJ n. 22 de 15 de agosto de 2018. Disponível em:< https://www.tjsc.jus.br/documents/37870/56168/RES+n.+22-2018+com+altera%C3%A7%C3%A3o+da+30/eb0a5a1d-dda8-2934-9b70ebc922045225>. Acesso em: 06 de setembro de 2020.

VAILLANT, G. Adaptative Mental Mechanisms: Their Role in a Positive Psychology. American Psychologist, v. 55, n. 1, p. 89-98. jan. 2000.

VAILLANT, G. E. Ego Mechanisms of Defense: A guide for clinicians and researchers. New York: American Psychiatric Press, 1992.

VASCONCELLOS, A. C. L. Inteligência Prática. In: VIEIRA, F. de O.; MENDES, A. M.; MERLO, A. R. C. (Org.). Dicionário crítico de gestão e psicodinâmica do trabalho. Curitiba: Juruá, 2013. p. 237-242.

Publicado

2022-06-30

Edição

Seção

Artigos