ENSINO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS NO ENSINO MÉDIO:

estudo exploratório da organização do trabalho pedagógico na pandemia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v24i1.7094

Palavras-chave:

Ensino remoto., Ciências Humanas e Sociais., Ensino Médio., Pandemia.

Resumo

O ensino remoto ocorreu por meio de uma profusão de atividades não presencias utilizadas como alternativa ao trabalho didático-pedagógico durante a pandemia da COVID-19. O ensino das Ciências Humanas e Sociais não ficou de fora dos efeitos e implicações da pandemia no contexto escolar. Este trabalho abrange a área das Ciências Humanas e Sociais frente aos desafios de professores em lidar com o universo do ensino remoto na escola. Com isso, tem como objetivo analisar as implicações da pandemia na organização do trabalho pedagógico de professores da área de Ciências Humanas e Sociais do ensino médio. Como metodologia, foi utilizada a pesquisa de tipo exploratória, com entrevista feita a quatro professores que lecionam as disciplinas da área em análise: história, geografia, sociologia e filosofia. Quanto ao universo escolar, trata-se de uma escola da rede estadual de ensino, situada na cidade de Pau dos Ferros/RN. Dos resultados, pudemos observar que os professores tiveram que lidar com as tecnologias e se reinventar na organização do trabalho pedagógico. A pandemia demandou uma aposta nas tecnologias para atender ao desafio de sustentar a oferta do ensino e garantir a progressão dos estudos dos estudantes. De certo, as dificuldades concretas de ensinar Ciências Humanas e Sociais na escola, de maneira remota, confundiram-se com as fragilidades educacionais evidenciadas pelo isolamento social.

Biografia do Autor

Maria Thais de Oliveira Batista, UERN

Mestranda em Ensino pela Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN). Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal de Campina Grande (UFCG). Graduada em Letras Português/Inglês pela Faculdade de Venda Nova do Imigrante (FAVENI). Possui Especialização em Docência do Ensino Superior e Especialização em Educação Infantil e Anos Iniciais do Ensino Fundamental.

Francisco Alexlânio Alves Maia, UERN

Graduação em Pedagogia pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (2008), Especialização na área de Educação de Jovens e Adultos pela UERN, (2011) e em Língua Portuguesa e Matemática numa perspectiva transdisciplinar pelo IFRN, (2013). Mestrando em Ensino pelo programa de Pós-Graduação em Ensino - PPGE da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte, campus Pau dos Ferros. Atualmente é técnico do Setor Financeiro DIREC/ESCOLAS, da 15ª Diretoria Regional Educação e Cultura - DIREC - Pau dos Ferros. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: memórias de leitura, família, escola, ensino, planejamento, formação inicial continuada, formação inicial, proposta anual, ciências naturais, professor. e memórias, leitura, formação de leitores.

Simone Cabral Marinho dos Santos, UERN

Doutora em Ciências Sociais (UFRN) e mestre em Sociologia Rural (UFPB), graduada em Ciências Sociais (UERN), docente do departamento de Educação (UERN/Campus Pau dos Ferros) e dos Programas de Pós-Graduação em Ensino (PPGE) e Planejamento e Dinâmicas Territoriais no Semiárido (PLANDITES). Líder do grupo de pesquisa Núcleo de Estudos em Educação (NEEd) e Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas em Planejamento do Processo Ensino-Aprendizagem (GEPPE). Atuação nas seguintes áreas de pesquisa: Ensino, território, educação do campo e sucesso escolar. Desenvolve projetos de extensão no campo da formação, cidadania, juventude, popularização da ciência e educação em direitos humanos.

Referências

AGÊNCIA IBGE NOTÍCIAS. PNAD Contínua 2019: Internet chega a 88,1% dos estudantes, mas 4,1 milhões da rede pública não tinham acesso em 2019. 14 abr. 2021. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/30522-internet-chega-a-88-1-dos-estudantes-mas-4-1-milhoes-da-rede-publica-nao-tinham-acesso-em-2019. Acesso em: 18 ago. 2021.

ARAÚJO, Jurandir de Almeida. Educação e Desigualdade: A Conjuntura Atual do Ensino Público no Brasil. Direitos humanos e democracia, Ijuí, ano 2, n. 3, p. 125-157, jan./jun. 2014.

BODART, Cristiano das Neves. Apresentação. In: BODART, Cristiano das Neves (Org.). O Ensino de Humanidades nas Escolas: Sociologia, Filosofia, História e Geografia. Maceió-AL: Editora Café com Sociologia, 2019. p. 05-09.

BOGDAN, Robert.; BIKLEN, Sari. Investigação qualitativa em educação: Uma introdução à teoria e aos métodos. Porto (Portugal): Porto Editora, 1994.

BRAGA, Juliana (Org.). Objetos de Aprendizagem. Volume 1: introdução e fundamentos. Santo André-SP: Editora da UFABC, 2014.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Presidência da República, 2020.

BRASIL, Ministério da Educação. Lei de diretrizes e bases da educação nacional. Lei Nº 9.394/96 de dezembro de 1996. Brasília, 2004.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Brasília: MEC, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em 19 de jan. 2022.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria n. 343, de 17 março de 2020. Dispõe sobre a substituição das aulas presenciais por aulas em meios digitais enquanto durar a situação de pandemia do Novo Coronavírus - COVID-19. Diário Oficial da União – seção 1, Brasília, DF, Nº 53, quarta-feira, 18 de março de 2020a, p. 39.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria n. 544, de 17 junho de 2020. Dispõe sobre a substituição das aulas presenciais por aulas em meios digitais, enquanto durar a situação de pandemia do novo coronavírus - Covid-19, e revoga as Portarias MEC nº 343, de 17 de março de 2020, nº 345, de 19 de março de 2020, e nº 473, de 12 de maio de 2020. Diário Oficial da União – seção 1, Brasília, DF, Nº 114, quarta-feira, 17 de junho de 2020b, p. 62

CHARCZUK, Simone Bicca. Sustentar a transferência no Ensino Remoto: docência em tempos de pandemia. Educação & Realidade (Seção temática: as lições da pandemia), Porto Alegre, v. 45, n. 4, e109145, p. 1-20, 2020.

CORRÊA, Letícia Ramires; SILVA Rafael Lesses da. A escola e seus silêncios: A educação em tempo de pandemia. Disciplinarum Scientia. Série: Ciências Humanas, Santa Maria, v. 21, n. 2, p. 193-205, 2020.

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1967.

KENSKI, Vani Moreira. Aprendizagem mediada pela tecnologia. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 4, n.10, p.47- 56, set./dez. 2006.

MARTINS JÚNIOR, Luiz.; MARTINS, Rosa Elisabete Militz Wypyczynski. Uma experiência de formação continuada de professores/as de Geografia com o uso das tecnologias digitais. Revista Pedagógica, v. 23, p. 1-23, 2021. DOI http://dx.doi.org/10.22196/rp.v22i0.5576

MODELSKI, Daiane.; GIRAFFA, Lucia Maria.; CASARTELLI, Alam de Oliveira. Tecnologias digitais, formação docente e práticas pedagógicas. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 45, e180201, 2019.

OLIVEIRA, Adriana Cristina de; LUCAS, Thabata Coaglio; IQUIAPAZA, Robert Aldo. O que a pandemia da covid-19 tem nos ensinado sobre adoção de medidas de precaução? Texto & Contexto Enfermagem, v.29, e20200106, 2020.

OLIVEIRA, Cláudio de.; MOURA, Samuel Pedrosa.; SOUSA, Edinaldo Ribeiro de. TIC’S na educação: A utilização das tecnologias da informação e comunicação na aprendizagem do aluno. Pedagogia em Ação, v. 7, n. 1, 2015.

PAIVA JÚNIOR, Francisco Pessoa de. O ensino remoto na perspectiva do aluno. In: PAIVA JÚNIOR, Francisco Pessoa de. (org.). Ensino remoto em debate. Belém: RFB Editora, 2020. p. 119-129.

PEREIRA, Gislaine dos Santos. BNCC e o futuro da sociologia no ensino médio: uma análise comparativa. Revista Cadernos da Associação Brasileira de Ensino de Ciências Sociais. CABECS, Rio de Janeiro, v.4, n. 1, p.11-32, 2020.

RODRIGO, Lídia Maria. A questão da cientificidade das ciências humanas. Pro-posições, v. 8, n. 1 (52), jan./abr., 2007.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do Trabalho Científico. São Paulo: Cortez, 2013.

TRECE, Juliana Carvalho da Cunha. Pandemia de COVID-19 no Brasil: Primeiros impactos sobre agregados macroeconômicos e comércio exterior. Boletim de Economia e Política Internacional, BEPI, n. 27, maio/ago. 2020.

WERNECK, Guilherme; Loureiro; CARVALHO, Marilia Sá. A pandemia de COVID-19 no Brasil: crônica de uma crise sanitária anunciada. Cadernos de Saúde Pública, 36(5), 2020.

Publicado

2022-10-12

Edição

Seção

Artigos Demanda Contínua