CONCEPÇÕES E VIVÊNCIAS DA GESTÃO EM ESCOLA CONFESSIONAL

Autores

  • Fernando Degrandis Colégio Marista Ipanema

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v24i1.7130

Palavras-chave:

Gestão sistêmica. Educação integral. Missão institucional. Cultura escolar.

Resumo

Entre os conceitos expressos nos documentos da instituição escolar, aquilo que o gestor compreende e o que de fato acontece na escola confessional, há dinâmicas complexas. Estes processos são coerentes e colaboram para a aprendizagem dos discentes? Este é o questionamento central deste estudo, que visa analisar como a prática de gestores de escolas confessionais influenciam nas aprendizagens de estudantes. Este texto é parte integrante da tese do mesmo autor. A pesquisa qualitativa, de caráter explicativo, foi realizada ao longo de três anos (2015 – 2017) em duas escolas do Rio Grande do Sul, através de aplicação de questionários a estudantes, professores e gestores. Ainda compondo a pesquisa, foram realizadas leituras de documentos da rede de colégios e outros aportes bibliográficos. Os dados dos questionários foram categorizados através de um software. A compreensão de gestão, que supera e engloba a perspectiva administrativa, é fundamental para acompanhar procedimentos, estudantes e educadores. As compreensões dos gestores e dos documentos indicam uma coerência no que tange a uma aproximação maior do conceito de gestão, bem como um olhar sistêmico e integral, tanto das pessoas como dos processos. Contudo, isto está presente na intencionalidade dos gestores e pouco em suas estratégias, o que também revela uma cultura e um ambiente educativos.

Biografia do Autor

Fernando Degrandis, Colégio Marista Ipanema

Doutor em Teologia, linha de pesquisa religião e educação, pela Faculdades EST. Vice-diretor educacional no Colégio Marista Ipanema – Porto Alegre.

Referências

BALBINOT, Balbinot. Gerir a escola católica com espiritualidade. São Paulo: FTD, 2015.

BENDRATH, et al. Gestão educacional e sua relação com a oferta de atividades complementares curriculares. Revista Pedagógica, Chapecó, v. 20, n. 44, maio-ago. 2018. DOI: https://doi.org/10.22196/rp.v20i44.4041. Disponível em: https://bell.unochapeco.edu.br/revistas/index.php/pedagogica/article/view/4041. Acesso em: 23 jun. 2022.

CHAVES, et al. Gestão da educação – uma revisão conceitual na perspectiva de análise do Plano de Ações Articuladas – PAR. Site do IV Congresso Ibero-Americano de Política e Administração da Educação, Porto, abr. 2014. Disponível em: http://www.anpae.org.br/IBERO_AMERICANO_IV/GT1/GT1_Comunicacao/VeraLuciaJacobChaves_GT1_integral.pdf. Acesso em: 22 maio 2018.

FUCSI, José. Como Minas Gerais conseguiu a melhor educação básica do país. Site Época, Belo Horizonte, maio 2014. Disponível em:https://epoca.globo.com/tempo/noticia/2014/05/como-bminas-geraisb-conseguiu-melhor-educacao-basica-do-pais.html. Acesso em 30 de maio de 2018.

GUSMÃO, Joana B. de; RIBEIRO, Vanda M. Colaboração entre estado e municípios para a alfabetização de crianças na idade certa no Ceará. Cadernos Cenpec. V 1, n 1, 2011. Disponível em: http://www.cadernos.cenpec.org.br/cadernos/index.php/cadernos/article/view/37/37. Acesso em: 8 ago. 2018.

JUNQUEIRA, Sérgio Rogério Azevedo. Pastoral Escolar: conquista de uma identidade. Petrópolis: Vozes, 2003.

LÜCK, Heloísa. Gestão da cultura e do clima organizacional da escola. 2 ed. Petrópolis: Vozes, 2011.

LÜCK, Heloísa. Gestão do processo de aprendizagem pelo professor. Petrópolis: Vozes, 2014.

MURAD, Afonso. Gestão e espiritualidade: uma porta entreaberta. São Paulo: Paulinas, 2007.

MURICI e CHAVES. Gestão para resultados na educação. Nova Lima: Falconi, 2013.

OLIVEIRA, Daniela Motta de; et al. Gestão escolar em Minas Gerais: qualidade em resultados. In: RODRIGUES, Rubens Luiz (org.). Educação Escolar no Século XXI. Juiz de Fora: Editora UFJF, 2013.

PAIVA, Thaís. O salto da educação cearense. Site Carta Capital, s/l, out. 2016. Disponível em: http://www.cartaeducacao.com.br/reportagens/o-salto-da-educacao-cearense/. Acesso em: 7 de agosto de 2018.

RATIER, Rodrigo. Martin Carnoy: aproveitar melhor o tempo de aula é o caminho cubano. Site Nova Escola, s/l, nov. 2009. Disponível em: http://revistaescola.abril.com.br/formacao/formacao-continuada/aproveitar-melhor-tempo-aula-caminho-cubano-martin-carnoy-cuba-brasil-sala-formacao-511246.shtml. Acesso em: 5 nov. 2015.

SUBCOMISSÃO DE FORMAÇÃO DE DIRETORES MARISTAS DAS AMÉRICAS. O diretor marista e sua gestão a serviço da missão. [S/l]: impresso, [s/d].

UNIÃO MARISTA DO BRASIL. Projeto Educativo do Brasil Marista. Brasília: UMBRASIL, 2010.

Publicado

2022-11-09

Edição

Seção

Dossiê: Gestão na educação: políticas e práticas