A DEMOCRATIZAÇÃO DA GESTÃO ESCOLAR EM DEBATE: por uma outra lógica de construção social

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v24i1.7195

Palavras-chave:

Democratização da gestão. Escola pública. Mudanças.

Resumo

O presente artigo se refere à democratização da gestão escolar municipal. O objetivo é analisar a perspectiva dos sujeitos envolvidos no exercício do aprendizado da democratização da gestão da escola pública, a partir dos posicionamentos assumidos nos diferentes momentos vivenciados no cotidiano do processo decisório. O percurso metodológico ancorou-se na perspectiva do materialismo histórico e dialético, observando as contradições da realidade no que se refere ao desenvolvimento da gestão escolar numa instituição pública da região amazônica. Como instrumento de coleta de dados, usaram-se questionários, os quais foram direcionados a representantes de pais e representantes de trabalhadores de apoio de uma escola pública no município de Altamira-PA, representada pelo nome fictício de Clarice Lispector. Os resultados revelaram que a construção da gestão democrática da escola exige trabalho coletivo e exercício diário de participação, uma vez que a democracia, na vertente liberal presente na escola, é insuficiente para responder às expectativas de transformação social.

 

Biografia do Autor

Raimundo Sousa, UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ

Pós-doutor em Educação (ULisboa). Doutor em Educação (UFPA). Professor Adjunto na Universidade Federal do Pará, Altamira, Pará, Brasil. Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Política, Planejamento e Gestão da Educação-GEPGED/CNPQ. E-mail: sousaf3@yahoo.com.br

Anderson Madson Oliveira Maia, Universidade do Estado do Pará

O presente artigo se refere à democratização da gestão escolar municipal. O objetivo é analisar a perspectiva dos sujeitos envolvidos no exercício do aprendizado da democratização da gestão da escola pública, a partir dos posicionamentos assumidos nos diferentes momentos vivenciados no cotidiano do processo decisório. O percurso metodológico ancorou-se na perspectiva do materialismo histórico e dialético, observando as contradições da realidade no que se refere ao desenvolvimento da gestão escolar numa instituição pública da região amazônica. Como instrumento de coleta de dados, usaram-se questionários, os quais foram direcionados a representantes de pais e representantes de trabalhadores de apoio de uma escola pública no município de Altamira-PA, representada pelo nome fictício de Clarice Lispector. Os resultados revelaram que a construção da gestão democrática da escola exige trabalho coletivo e exercício diário de participação, uma vez que a democracia, na vertente liberal presente na escola, é insuficiente para responder às expectativas de transformação social.

Luiz Miguel Galvão Queiroz, Universidade do Estado do Pará

Doutor em Educação pela Universidade Federal do Pará. Mestre em Educação. Especialista em educação da Rede Estadual de Ensino do Pará. Docente da Universidade do Estado do Pará.

Rafael da Silva Queiroz, Universidade do Estado do Pará

Mestre em Letras. Docente da Rede pública estadual do Pará. Graduando em Ciências Jurídicas pela UFPA. Docente na Secretaria de Estado de Educação, Belém, Pará, Brasil.

Referências

ALTHUSSER, Louis. Aparelhos ideológicos do Estado. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1980.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2011.

BASTOS, Josie Amaral; LOBO, Juliana Campos. A internacionalização da educação superior: relações de aproximação entre Brasil e Portugal. Jornal de Políticas Educacionais, Curitiba-Pr, v. 16, n. 84265, p. 1-18, mar. 2022. Mensal. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/jpe/article/view/84265/46411. Acesso em: 10 maio 2022.

BORDENAVE, Juan E. Diaz. O que é participação? São Paulo: Brasiliense, 1996.

BRASIL. Constituição Federal de 1988. Ministério da Justiça. Brasília, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 10 ago. 2022.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases 9394/96. Ministério da Educação. Brasília, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 08 jun. 2022.

CAMPOS, Vicente Falconi. TQC. Controle da Qualidade Total no Estilo japonês. Nova Lima: Editora Falcon, 2014.

CHAUÍ, Marilena de Souza. Cultura e democracia: o discurso competente e outras falas. São Paulo: Cortez. 1997.

DOURADO, Luiz Fernandes. Políticas e Gestão da Educação Básica no Brasil: limites e perspectivas. Cedes, Campinas-SP, v. 28, n. 100, p. 921-946, out. 2007. Trimestral. Disponível em: https://www.scielo.br/j/es/a/w6QjW7pMDpzLrfRD5ZRkMWr/?lang=pt&format=pdf. Acesso em: 10 jun. 2022.

FREIRE, Paulo. Medo e Ousadia. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. São Paulo: Paz e Terra, 1967.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Teoria e educação no labirinto do Capital. São Paulo: Expressão Popular, 2016.

GRAMSCI, Antônio. Cadernos do cárcere. Vol. 2. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 1978.

LIMA, Licínio C. Organização escolar e democracia radical. Paulo Freire e a governação democrática da escola pública. São Paulo: Cortez/Instituto Paulo Freire, 2009.

MÉSZÁROS, István. A educação para além do Capital. São Paulo: Boitempo, 2008.

OLIVEIRA, João Ferreira de; DOURADO, Luiz Fernandes. A qualidade da educação: perspectivas e desafios. Cedes, Campinas-SP, v. 29, n. 78, p. 1-15, ago. 2009. Quadrimestral. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ccedes/a/Ks9m5K5Z4Pc5Qy5HRVgssjg/?lang=pt&format=pdf. Acesso em: 15 jun. 2022.

OLIVEIRA, João Ferreira de; FONSECA, Marília. A Educação em tempos de mudanças: reforma do Estado e educação gerenciada. Impulso, Piracicaba, v. 16, n. 40, p. 55-66, 03 out. 2005. Quadrimestral. Disponível em: https://repositorio.bc.ufg.br/bitstream/ri/12850/5/Artigo%20-%20%20Jo%C3%A3o%20Ferreira%20de%20Oliveira%20-%202005.pdf. Acesso em: 10 jun. 2022.

PADILHA, Paulo Roberto. Planejamento dialógico. Como construir o projeto político pedagógico da escola. São Paulo: Cortez/Instituto Paulo Freire. 2000.

SANTOS, Terezinha Fátima de Andrade Monteiro dos. Diálogos sobre a educação básica. Curitiba: Editora CRV, 2018.

SAVIANI, Dermeval. Democracia, educação e emancipação humana: desafios do atual momento brasileiro. Psicologia Escolar e Educacional, Campinas-SP, v. 21, n. 3, p. 653-662, dez. 2017. Quadrimestral. Disponível em: https://www.scielo.br/j/pee/a/Q7rcHqS3xNZKzV9MykSG79q/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 10 maio 2022.

SILVA, Bernardo Rasbold. Fake News: questões éticas e competências dos bibliotecários. 2019. 61 f. TCC (Graduação) - Curso de Biblioteconomia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2019. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/212489. Acesso em: 10 jul. 2022.

SOUSA, Raimundo. Gestão educacional e o planejamento das ações governamentais. Jundiaí/SP: Paco Editorial, 2017.

SOUSA, Raimundo; SANTOS, Terezinha Fátima A. Monteiro dos. Plano de Ações Articuladas: análise da democratização da gestão educacional em altamira-pa. Educação e Políticas em Debate, Uberlândia-MG, p. 95-109, jul. 2016. Quadrimestral. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistaeducaopoliticas/article/view/44575/23614. Acesso em: 10 jul. 2022.

Publicado

2022-12-21

Edição

Seção

Dossiê: Gestão na educação: políticas e práticas