ESCOLA INCLUSIVA, DIVERSIDADE E GESTÃO ESCOLAR: O que dizem gestores de escolas públicas do Rio Grande do Norte

Autores

  • Crislane Barbosa Azevedo Universidade Federal do Rio Grande do Norte

DOI:

https://doi.org/10.22196/rp.v24i1.7244

Palavras-chave:

Escola inclusiva, Gestão escolar, Educação e diversidade

Resumo

Este trabalho buscou analisar percepções de gestores de escolas públicas sobre a relação entre educação, diversidade e escola inclusiva. A pesquisa pautou-se em uma perspectiva teórica qualitativa nos moldes definidos por Ludke e André (2015). A atenção aos métodos de construção e procedimentos de análise de dados tomou como base, além de pesquisa bibliográfica, a realização de entrevistas analisadas à luz da perspectiva da análise de conteúdo nos moldes definidos por Bardin (2011). A análise das percepções dos sujeitos levou em consideração o que, sobretudo Chartier (1990) considera como representações. O entendimento sobre a instituição escola pauta-se nas proposições de Charlot (1979, 2009, 2013, 2018). Diversidade, aqui, não se limita à esfera cultural e não se confunde com as diferenças, portanto, considera as origens, as permanências e as implicações das desigualdades. Se por um lado, identificou-se cuidado com o politicamente correto no uso das palavras; por outro lado, equívocos conceituais foram correntes nas narrativas dos gestores escolares quanto à diversidade e à escola inclusiva. Constatou-se a ausência de conhecimentos e experiências formativas continuadas sobre o assunto.

Biografia do Autor

Crislane Barbosa Azevedo, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Professora Associada do Centro de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFRN. Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em História, Educação e Diversidade (GEPHED/UFRN).

Referências

AZEVEDO, Crislane B. Percepções de professores e gestores escolares de escolas públicas sobre educação e diversidade. Relatório de Pesquisa (Pós-doutorado em Educação). 2021. Universidade Federal de Sergipe. 419 p.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Lisboa, Portugal; Edições 70, LDA, 2009.

BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sari. Entrevistas. In: BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sari. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora, 1994, p. 134-139.

BRASIL. Política Nacional de Educação Especial. Brasília: MEC/SEESP, 1994.

BRASIL. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial, 2008.

BRASIL. Decreto nº. 7.611 – Dispõe sobre a educação especial, o atendimento educacional especializado e dá outras providências, de 17 de novembro de 2011. Brasília, 2011.

BRASIL. CNE. Resolução CNE/CP no. 2/2015, de 01 de julho de 2015 – Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Brasília: Conselho Nacional de Educação, 2015.

CANTARELLI, Juliana M.; GENRO, Maria Elly H. Professores e diversidade na sala de aula: desconstruindo preconceitos e potencializando cidadania. Revista Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v. 24, n. 2, p. 280-297, mai./ago. 2016. Disponível em: https://online.unisc.br/seer/index.php/reflex/article/view/5243. Acesso em: 05 jan. 2021

CHARLOT, Bernard. A mistificação pedagógica. Tradução Maria José do Amaral Ferreira. São Paulo: Cortez, 1979.

CHARLOT, Bernard. A escola e o trabalho dos alunos – conferência. Sísifo: Revista de Ciências da Educação. n. 10, p. 89-96, set.-dez/2009. Disponível em: http://sisifo.ie.ulisboa.pt/index.php/sisifo/article/view/165. Acesso em: 10 ago. 2020

______ . Da relação com o saber às práticas pedagógicas. São Paulo: Cortez, 2013.

CHARTIER, Roger. A História Cultural: entre práticas e representações. Tradução de Maria Manuela Galhardo. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil; Lisboa: Difel, 1990.

COLARES, Anselmo A.; SOUZA, Rosana R. Educação e Diversidade: interfaces e desafios na escola de tempo integral. Revista HISTEDBR On-line, v. 15, p. 247-266, 2015. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8643713. Acesso em: 2 set. 2020.

COPPETE, Maria Conceição; FLEURI, Reinaldo M.; STOLTZ, Tânia. Educação para a diversidade numa perspectiva intercultural. Revista Pedagógica – UNOCHAPECÓ. Chapecó, ano 15, n. 28, v. 01, p. 231-262, jan./jun. 2012. Disponível em: https://bell.unochapeco.edu.br/revistas/index.php/pedagogica/article/view/1366. Acesso em: 9 maio 2022.

DUARTE, Rosália. Entrevistas em pesquisas qualitativas. Educar, Curitiba, n. 24, p. 213-225, 2004. Paraná: Editora UFPR. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/educar/article/view/2216. Acesso em: 4 jun. 2020.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

LEITE, Maria Aparecida. Diversidade cultural no contexto escolar. Monografia (especialização em fundamentos da educação). 2014. Universidade Estadual da Paraíba. 54 p.

LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli E. D. A. Pesquisa em Educação: Abordagens qualitativas. 2 ed. Rio de Janeiro: E. P. U. 2015.

LUSTOSA, Amanda F. M.; ROSA, Lúcia C. dos S. Reflexões sobre educação para a diversidade: problematizando a construção da cidadania na academia. Revista Eletrônica Informe Econômico. ano 1, n. 1, ago. 2013. p. 27-34. Disponível em: https://periodicos.ufpi.br/index.php/ie/article/view/1798. Acesso em: 21 set. 2020.

MENDES, Enicéia Gonçalves. A radicalização do debate sobre inclusão escolar no Brasil. Revista Brasileira de Educação, v. 11, n. 33, p. 387-559, set./dez. 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbedu/a/KgF8xDrQfyy5GwyLzGhJ67m/?lang=pt&format=pdf. Acesso em: 1 out. 2020.

RODRIGUES, David. Dez ideias (mal) feitas sobre a Educação Inclusiva. in: RODRIGUES, David (Org.). Inclusão e Educação: doze olhares sobre a Educação Inclusiva. São Paulo: Summus Editorial, 2006.

TARDIF, Maurice. Saberes profissionais dos professores e conhecimentos universitários: elementos para uma epistemologia da prática profissional dos professores e suas conseqüências em relação à formação para o magistério. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 13, p. 5-24, jan./abr. 2000. Disponível em: http://educa.fcc.org.br/pdf/rbedu/n13/n13a02.pdf. Acesso em: 6 jul. 2019.

TAVEIRA, Ana C. F.; SANTOS, Maria L. dos; PEREIRA, Edna L. M. O direito à educação e o tratamento da diversidade na escola. Novos Direitos – Revista Acadêmica do Instituto de Ciências Jurídicas. Goiânia, v. 2, n. 1, p. 88-100, Jan.Jun.2015. Disponível em: http://www.revistas.unifan.edu.br/index.php/RevistaICJ/article/view/72. Acesso em: 3 out. 2020.

Publicado

2022-11-12

Edição

Seção

Dossiê: Gestão na educação: políticas e práticas