O enfrentamento da violência de gênero a partir da Educação Básica

Autores

  • Roberta Guimarães Peres Universidade Federal do ABC
  • Ana Carolina Alves Universidade Federal do ABC

DOI:

https://doi.org/10.22562/2022.56.06

Palavras-chave:

Educação Básica , Violência Sexual , Violência de Gênero

Resumo

O presente artigo busca discutir as potencialidades da Educação Básica no combate à violência contra a mulher, em uma perspectiva crítica à criminalização de condutas e intensificação de penas. A partir da revisão bibliográfica de estudos na área de Criminologia Crítica e da análise de dados fornecidos pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) e do Sistema de Informações de Agravos de Notificação (Sinan), identifica-se uma aparente ineficácia da via penal como meio de enfrentamento à violência de gênero. Uma vez que, como propõem as pesquisas no campo dos Estudos de Gênero, esta violência emana de uma configuração sociocultural pautada na ordem patriarcal e na assimetria de poder entre os gêneros, a criminalização de condutas não alcança suas raízes. Diante desse cenário, requer-se lançar um novo olhar sobre áreas que possam contribuir para a desconstrução dessa base sociocultural e engajar-se no enfrentamento à violência de gênero. Para tanto, compreende-se que a Educação, a partir da perspectiva proposta por Adorno, tem potencial relevante de contribuição neste debate.

Biografia do Autor

Roberta Guimarães Peres, Universidade Federal do ABC

Doutora em Demografia pelo Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas (IFCH/Unicamp). Professora adjunta da Universidade Federal do ABC.

Ana Carolina Alves, Universidade Federal do ABC

Mestranda em Ciências Humanas e Sociais pela Universidade Federal do ABC. Professora contratada da Rede Municipal de São José dos Campos.

Publicado

2022-06-06