Regime de acumulação e dinâmica socioambiental de 1950-1980

Autores

  • Luiz Fernando Valter de Oliveira Unochapecó
  • Ronaldo Herriein Júnior

DOI:

https://doi.org/10.46699/rce.v14i26.1175

Palavras-chave:

Teoria Institucional, Escolha Estratégica, Mudança Estratégica

Resumo

O artigo tem por objetivo entender quais foram os fatores que, durante o período desenvolvimentista (1950-1980), levaram a uma dinâmica de degradação ambiental intensa. Para isso, toma-se como ponto de partida o regime de acumulação fordista periférico, que corresponde a um determinado processo de industrialização e de urbanização. Nessa ótica, foram as transformações estruturais da economia brasileira, que por meio de um processo desequilibrado de industrialização e de urbanização, implicaram em uma dinâmica recíproca entre a população e o meio ambiente, resultando no agravamento da problemática ambiental.

Edição

Seção

Artigos