A região oeste catarinense no contexto do desenvolvimento regional após os efeitos da interiorização da administração pública

Autores

  • Paulo Roberto Santana Borges Unochapecó

DOI:

https://doi.org/10.46699/rce.v14i27.1178

Palavras-chave:

Incentivo, motivadores extrínsecos, remuneração, Teoria da Agência, recompensa, compromisso

Resumo

A pesquisa propõe analisar a interiorização administrativa de ações públicas antes centralizadas no governo estadual, como um projeto de mudanças de regionalização do desenvolvimento e da municipalização das ações e a adaptação aos modos da descentralização espacial da administração direta do Estado, com o objetivo principal de verificar a fragmentação dos mais diversos recortes territoriais. A mesorregião Grande Fronteira do Mercosul, no oeste catarinense, é o foco da pesquisa devido aos níveis de desenvolvimento, à pujança econômica dos municípios e ao fato de abrigar treze Secretarias de Desenvolvimento Regional. Detectou-se que 50% dos municípios analisados se relacionam com quatro ou mais sedes regionais. Na sobreposição dos órgãos regionais institucionalizados, identificaram-se conflitos com instituições que atuam diretamente com ações e programas que visam o desenvolvimento do município e regional, aprofundando os conflitos nas escalas dos projetos e não permitindo a consolidadação da identidade territorial.

Edição

Seção

Artigos