A moeda importa? A macroeconomia pós-keynesiana e a não-neutralidade da moeda.

Autores

  • Vitor Carvalho Lira UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA
  • Cleiton Silva de Jesus UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA

DOI:

https://doi.org/10.46699/rce.v18i34.1809

Resumo

O objetivo deste artigo é fazer uma investigação, fundamentada na literatura pós-keynesiana, sobre a importância da moeda na dinâmica macroeconômica. Os argumentos que serão explicitados, bem distintos da sabedoria convencional, sustentam a ideia de que a moeda tem a capacidade de afetar as variáveis reais numa economia com sofisticadas instituições financeiras, tanto no curto quanto no longo prazo.

Biografia do Autor

Vitor Carvalho Lira, UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

Bacharel em Economia pela UEFS (Universidade Estadual de Feira de Santana), mestrando em Economia pela UFBA (Universidade Federal da Bahia); bolsista CAPES.

Cleiton Silva de Jesus, UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA

Bacharel em Ciências Econômicas pela UEFS (Universidade Estadual de Feira de Santana), mestre em Economia pela UFPR (Universidade Federal do Paraná), e doutorando em Economia pela UFPR. Professor Assistente da Universidade Estadual de Feira de Santana.

Publicado

2016-06-16

Edição

Seção

Artigos