CARACTERIZAÇÃO DA CADEIA PRODUTIVA DA SOJA EM SANTA CATARINA

Autores

  • Eduardo Nery Fuganti Universidade Comunitária da Região de Chapecó - Unochapecó
  • Luiz Carlos de Carvalho Júnior

DOI:

https://doi.org/10.46699/rce.v19i35.3450

Palavras-chave:

Planejamento. Estratégia. Desenvolvimento. Turismo. Planos de Desenvolvimento.

Resumo

Os objetivos deste trabalho são descrever a estrutura da cadeia produtiva da soja catarinense e a sua dinâmica recente, identificar o papel desempenhado pelos agentes atuantes nos distintos segmentos da cadeia, e levantar as perspectivas da cadeia para os anos vindouros. Para atender tais objetivos, foram coletadas informações em trabalhos disponíveis, em instituições de pesquisas e foram realizadas entrevistas com agentes da cadeia, tais como fornecedores de insumos, produtores agrícolas e empresas de processamento. Apesar de ter sido um dos primeiros estados a produzir soja com fins comerciais, Santa Catarina teve no decorrer dos anos redução na sua participação na produção nacional do produto, devido a condições desfavoráveis para o cultivo, tais como o tipo de relevo e as reduzidas dimensões da maioria das propriedades agrícolas no estado. Apesar destas limitações, a soja detém importância significativa em termos de geração de renda nas principais regiões produtoras de Santa Catarina. No segmento de industrialização, nos últimos dez anos foi observada queda na participação catarinense no total processado no país, com redução no número de plantas industriais em operação. Para o futuro, os agentes da cadeia acreditam que ocorra estabilização do quadro atual, com pequeno crescimento da produção e manutenção da capacidade industrial.

Palavras-chave: Cadeia produtiva. Soja. Santa Catarina.

Publicado

2016-10-27

Edição

Seção

Artigos