POLÍTICA MONETÁRIA E O CANAL DO EMPRÉSTIMO BANCÁRIO: UMA ANÁLISE PARA O BRASIL, DE 2003 A 2012

Autores

  • Cristian Rafael Pelizza Universidade Comunitária da Região de Chapecó - Unochapecó

DOI:

https://doi.org/10.46699/rce.v19i35.3453

Palavras-chave:

Ensino de Zoologia. Educação não formal. Realidade local. Pesquisa-Ação.

Resumo

O objetivo do presente artigo é apresentar um modelo, com base no trabalho de Bernanke e Blinder (1988), em que o crédito, via empréstimos bancários, possui impacto macroeconômico, como canal de transmissão das políticas monetárias. A metodologia utilizada foi a realização de um teste econométrico utilizando a técnica do Vetor Autorregressivo (VAR). Para isso foram utilizadas seis variáveis, o PIB real, inflação medida pelo índice IGP-DI, a base monetária M1, a taxa Selic real, o Spread bancário e o Crédito com recursos livres público e privado. Os resultados corroboram com a perspectiva teórica, de que com assimetria de informação o crédito se torna ativo nos resultados da política monetária. Para chegar a essa conclusão foi utilizada uma função de impulso resposta, em que um choque positivo na taxa Selic afeta o nível de crédito e o spread bancário, tendo como consequência impacto sobre o produto.

 

Palavras-chave: Política monetária. Crédito. Vetor Autorregressivo.

Publicado

2016-10-27

Edição

Seção

Artigos