UMA ANÁLISE DO CANAL DE TRANSMISSÃO E DA DEMANDA AGREGADA POR CRÉDITO NO BRASIL, DE 2003 A 2012.

Autores

  • Cristian Rafael Pelizza Universidade Federal do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.46699/rce.v21i38.4299

Palavras-chave:

Autoeficácia. Inovação. Desempenho. Micro e Pequenas Empresas.

Resumo

O objetivo do presente artigo é apresentar um modelo, com base no trabalho de Bernanke e Blinder (1988), em que o crédito possui impacto macroeconômico, como canal de transmissão das políticas monetárias, bem como estimar a demanda agregada por crédito, observando o impacto da taxa Selic sobre a mesma. O ajuste do modelo econométrico foi feito utilizando os estimadores de Mínimos Quadrados em Dois Estágios (MQ2E) e Método Generalizado dos Momentos (GMM), sendo as variáveis instrumentais utilizadas relacionadas à oferta agregada de crédito. Os resultados são congruentes com a teoria econômica, com o crescimento de crédito sendo de -0,35% (MQ2E) e -0,55% (GMM) para uma variação de 1% na Selic.

Publicado

2019-03-12

Edição

Seção

Artigos