A COR DA PELE: DIFERENÇA SALARIAL NO PARANÁ EM 2015

Autores

  • Pedro Henrique Souza Nadú Universidade Estadual de Londrina (UEL)
  • Gabriela Gomes Mantovani Universidade Estadual de Londrina (UEL)
  • Magno Rogério Gomes Universidade Estadual de Londrina (UEL)
  • Solange de Cassia Inforzato de Souza Universidade Estadual de Londrina (UEL)
  • Katy Maia Universidade Estadual de Londrina (UEL)

DOI:

https://doi.org/10.46699/rce.v20i36.4477

Palavras-chave:

Política Social Local, Educação e Desenvolvimento Local, Formação Profissional, Matriz Curricular, Serviço Social.

Resumo

Este artigo tem por objetivo analisar a discriminação salarial entre brancos e não brancos no Paraná a partir dos microdados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios de 2015.  As equações salariais estimadas mostram o maior retorno para os trabalhadores brancos no estado. A partir da decomposição salarial, confirma-se a existência da discriminação salarial contra os trabalhadores não brancos no Paraná, pois 34% do hiato salarial decorrem desse fator discriminante, apesar desses trabalhadores serem maioria no mercado de trabalho paranaense e nacional. No entanto, a discriminação salarial no estado Paraná é menor do que a encontrada para o país.

Biografia do Autor

Pedro Henrique Souza Nadú, Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Mestrando em Economia Regional na Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Gabriela Gomes Mantovani, Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Mestrando em Economia Regional na Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Magno Rogério Gomes, Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Professor assistente da Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Solange de Cassia Inforzato de Souza, Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Professora associada da Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Katy Maia, Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Professora associada da Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Publicado

2018-07-24

Edição

Seção

Artigos