Finanças comportamentais: uma análise estatística envolvendo os efeitos certeza e reflexo

Autores

  • Anderson Dorow
  • Jurandir Sell Macedo Jr
  • Patrícia Nunes
  • Emílio Araújo Menezes

DOI:

https://doi.org/10.46699/rce.v12i23.569

Palavras-chave:

Assistência social. SUAS. Assistencialismo.

Resumo

O presente artigo objetivou verificar se os acadêmicos do curso de administração com ênfase em Recursos Humanos, Comércio Exterior, Finanças e Marketing pesquisados apresentam suscetibilidade aos efeitos “certeza” e “reflexo” estabelecidos da Teoria do Prospecto. Por meio da utilização de um questionário, munido de questões objetivas foi possível testar os efeitos supracitados. Os resultados obtidos confirmam que os indivíduos são avessos ao risco no campo dos ganhos e propensos ao risco no campo das perdas. Todavia, foi realizado um t-teste paramétrico que evidencia que as diferenças encontradas entre as médias da população pesquisada e as médias de Kahneman e Tversky (1979) não possuem diferença estatisticamente significativa para t(4)= 18.00, p >.05..

Edição

Seção

Artigos