Ocorrência da espécie exótica Lithobates catesbeianus (rã-touro) em ambientes naturais nos municípios de Chapecó e Guatambu, Santa Catarina, Brasil

Autores

  • Fabiana Cristina Alves Universidade Comunitária Regional de Chapecó
  • Adriana Branco
  • Elaine Maria Lucas

DOI:

https://doi.org/10.24021/raac.v5i1/2.224

Resumo

A rã-touro (Lithobates catesbeianus) foi introduzida no Brasil visando a criação comercial. Escapes acidentais têm propiciado que a espécie se estabelecesse na natureza, podendo representar um risco à sobrevivência dos anuros nativos. Esta pesquisa foi realizada nos municípios de Chapecó (27º04’S - 52º45’W) e Guatambu (27º07’S - 52º47’W), Santa Catarina, Brasil, de setembro/2000 a maio/2001, e outubro/2001 a outubro/2002, buscando constatar a presença/ausência e caracterizar os ambientes ocupados pela espécie em 20 pontos amostrais. As coordenadas geográficas dos mesmos e dos ranários existentes no município foram registradas com GPS. Para descrição do hábitat, registrouse: tipo de ambiente aquático, presença ou ausência de vegetação marginal e parâmetros físico-químicos de qualidade da água. A presença da espécie (girinos, juvenis e adultos) foi verificada em todas as localidades, ocupando principalmente corpos d’água lênticos naturais (charcos) ou artificiais (açudes) com ou sem vegetação marginal. Os valores dos parâmetros físico-químicos foram: turbidez 1,21 a 87,4; pH 5,4 a 7,85; condutividade 21 a >100 mS; OD 2,8 a 10 mg/l; temperatura da água 14 a 20,5º C; amônia 0,01 a 2,42 mg/l e DBO 0,5 a 3,8 mg/l, evidenciando o alto grau de tolerância da espécie a ambientes com baixa qualidade da água e elevado impacto antrópico.

Edição

Seção

Artigos