O estado da arte na reciclagem de lâmpadas fluorescentes no Brasil: parte 1

Autores

  • Vera Lúcia Mombach Universidade Comunitária Regional de Chapecó
  • Humberto Gracher Riella
  • Nivaldo Cabral Kuhnen

DOI:

https://doi.org/10.24021/raac.v5i1/2.225

Palavras-chave:

memória, história, tempo, pesquisa em ensino de história, Walter Benjamin.

Resumo

O desenvolvimento tecnológico trouxe consigo um grande número de facilidades para a humanidade. Um dos maiores avanços é, sem dúvida, a energia elétrica. Por outro lado, este desenvolvimento, associado ao crescimento populacional, e o consumo inadequado, tem provocado muitos efeitos colaterais. Este trabalho apresenta uma análise de alguns impactos ambientais associados ao descarte das lâmpadas contendo mercúrio. Pretende contribuir, assim, para o desenvolvimento econômico e tecnológico, de acordo com a legislação ambiental. Relaciona, ainda, empresas e tecnologias de descontaminação de lâmpadas fluorescentes no Brasil que buscam evitar que as lâmpadas sejam fontes de contaminação ambiental. Com o intuito de diminuir o consumo de energia elétrica, novas lâmpadas mais econômicas foram desenvolvidas. Porém, isto significa mais contaminação para o ambiente, principalmente devido ao mercúrio que essas lâmpadas contêm. Este problema tem levado pesquisadores e empresas a buscar soluções adequadas, atendendo às questões econômicas, sociais e ambientais, desenvolvendo-se assim técnicas de descontaminação e a reciclagem desses materiais.

Edição

Seção

Artigos