Qualidade das mudas de espécies arbóreas de mangue cultivadas em viveiro e diferentes substratos

Autores

  • Erneida Coelho Araujo
  • Rejane Silva Costa
  • Elaine Cristina Lopes
  • Rogerio Figueiredo Daher
  • Marcus Emanuel Barroncas Fernandes

DOI:

https://doi.org/10.24021/raac.v11i1/2.3091

Palavras-chave:

, institucionalismo, sistemas agroindustriais, mercado de sementes

Resumo

O objetivo do presente estudo foi avaliar a qualidade de mudas de Rhizophora mangle L., Avicennia germinans (L.) Stearn, Laguncularia racemosa (L.) Gaertn. f., cultivadas nos substratos, latossolo, areia e solo de mangue. O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualizado em esquema fatorial (3x3) x 3, sendo três espécies arbóreas e três substratos. O experimento foi conduzido em viveiro instalado no município de Bragança, Pará, Brasil, durante o período de março a dezembro de 2008. As mudas foram cultivadas em embalagens de polietileno (17 x 27 cm). O monitoramento teve início 30 dias após a semeadura, sendo realizado mensalmente ao longo de nove meses. De acordo com os resultados obtidos as mudas de Rhizophora mangle, Avicennia germinans e Laguncularia racemosa desenvolveram-se de forma independente do substrato testado. Após 270 dias de permanência no viveiro os substratos avaliados resultaram em mudas de qualidade, Adicionalmente, o índice de qualidade de Dickson (IQD) indicou um bom padrão de qualidade para essas mudas quando associadas ao substrato latossolo, e indicou que o substrato latossolo é uma alternativa para produção de mudas dessas espécies, o que evita a utilização do próprio solo do manguezal.

Publicado

2016-02-11

Edição

Seção

Artigos