AMAZÔNIA ORIENTAL: impactos socioambientais em Pequiá de Baixo no Município de Açailândia-Ma

Autores

  • Milene Rocha Vieira Santos Rocha Universidade Comunitária da Região de Chapecó - Unochapecó
  • Dyllean de Cássia Oliveira Silva
  • Edney Loiola

DOI:

https://doi.org/10.24021/raac.v12i1/2.3224

Palavras-chave:

Fluorescência de Raios X Portátil (PXRF), Composição elementar, Patrimônio Cultural.

Resumo

O crescimento de indústrias siderúrgicas no Brasil tem se intensificado nos últimos anos e se consolidou como exportador de produtos oriundos da exploração de energia e recursos naturais. A intensificação que se percebe vem se processando, sobretudo, pelo posicionamento do Estado brasileiro em atender exigências do capital internacional em uma nova forma de integração de regiões à economia mundial capitalista. Essa realidade trás consigo impactos socioambientais, os quais estão explanados como forma de reflexão neste artigo, no qual se objetivou levantar discussões sobre os impactos causados por siderúrgicas em Pequiá de Baixo no Município de Açailândia no estado do Maranhão, parte da Amazônia Oriental. Os fundamentos da revisão de literatura, de caráter exploratório, têm suas bases em informações pautadas na realidade levantada sobre o crescimento econômico e a produção de ferro gusa para exportação e suas consequências para o ambiente. Das implicações ambientais e sociais observou-se que existe uma continuidade na geração de externalidades que mantêm tensões locais e não minimizam as vulnerabilidades sociais, seja por omissão do setor sídero-industrial, seja por parte dos limites das políticas públicas do Estado.

Publicado

2016-06-08

Edição

Seção

Artigos