Tratamento térmico de sementes no manejo da mancha manteigosa em cafeeiro

Autores

  • Jucilayne Fernandes Vieira UFLA
  • Mario Sobral de Abreu UFLA
  • Cláudio Ogoshi UFLA
  • Rosana Oliveira Pierre UFLA
  • Eudes Arruda Carvalho UFLA
  • Fernanda Gonçalves Martins UFLA
  • Bruno Marques da Silva UFLA

DOI:

https://doi.org/10.24021/raac.v11i1/2.381

Resumo

Colletotrichum gloeosporioides pode estar associado às sementes de cafeeiro como contaminante superficial ou colonizador de tecidos internos, causando assim redução na qualidade sanitária e fisiológica das mesmas. O tratamento térmico vem despertando interesse por oferecer eficiência no controle de fungos em sementes infectadas. Nesse sentido, o presente trabalho teve como objetivo avaliar a eficiência da termoterapia no controle de C.gloeosporioides em sementes de cafeeiro. O tratamento térmico foi realizado pela imersão das sementes, (sem ou inoculadas com o fungo) em banho-maria, com temperaturas de 50 °C e 60 °C por 1 minuto, 7 minutos e 30 segundos e 15 minutos. Para avaliar a eficiência dos tratamentos foram realizados os testes de germinação das sementes e sanidade pelo método “Blotter test”. Os tratamentos térmicos foram eficientes no controle de C. gloeosporioides, sendo que melhor tratamento térmico na redução fungo nas sementes foi 60 ° C por 15 minutos, entretanto, esse tratamento reduziu significativamente a germinação das sementes.

Biografia do Autor

Jucilayne Fernandes Vieira, UFLA

Departamento de controle e diagnose de doenças de plantas

Mario Sobral de Abreu, UFLA

Professor do Departamento de controle e diagnose de doenças de plantas

Cláudio Ogoshi, UFLA

Departamento de controle e diagnose de doenças de plantas

Rosana Oliveira Pierre, UFLA

Departamento de controle e diagnose de doenças de plantas

Eudes Arruda Carvalho, UFLA

Departamento de Epidemiologia

Fernanda Gonçalves Martins, UFLA

Departamento de controle e diagnose de doenças de plantas

Bruno Marques da Silva, UFLA

Departamento de controle e diagnose de doenças de plantas

Publicado

2016-03-18

Edição

Seção

Artigos