Conhecendo e construindo nossas histórias: a memória no contexto escolar

Autores

  • Gabriela Golembiewski Passuelo Unochapecó
  • Marcéli Machado Santos
  • Naira Gislaine Cooper Carvalho
  • Nicole Fischer Perez

Resumo

O objetivo deste trabalho é compartilhar as experiências de docência vivenciadas com três turmas do segundo ano do Ensino Fundamental de Nove Anos, na Escola Estadual Dinah Nery Pereira, no período de junho à outubro do ano de 2010. Essa escola pertence ao anexo I do Instituto de Educação General Flores da Cunha, uma referência patrimonial e histórica na formação de professores, localizada na cidade de Porto Alegre/RS. Para iniciar nosso fazer docente, disponibilizamos um período para observações, lançando nossos olhares sobre os espaços físicos e sobre as práticas pedagógicas. Após este momento, desenvolvemos o projeto intitulado “Conhecendo e construindo nossas histórias”, tendo como foco a construção das identidades culturais, sociais e históricas dos alunos. As nossas experiências como docentes foram proporcionadas por meio do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência – PIBID; programa que permite o exercício da docência, unindo constantemente a teoria com a prática, não dissociando o aluno/professor do pesquisador, que objetiva estimular a reflexão sobre o fazer docente. As temáticas desenvolvidas identificaram-se com as questões que envolvem memória, identidade, construção das noções temporais e todas elas, ao final, vinculam-se ao ensino de história. O objetivo do projeto era que os alunos se percebessem como sujeitos, partícipes e também constituintes da história coletiva. Para embasar e aprimorar nossos conhecimentos, realizamos leituras de biografias, de textos acadêmicos sobre o ensino de história e estudamos os significados da memória enquanto documento para a História. Destacamos algumas atividades, como a construção de linhas de tempo individual e coletiva, contação de histórias, escrita e trabalho de artes plásticas ilustrando a história de vida dos alunos, produção de caixa de memórias materiais contendo objetos significativos que ajudam a narrar as histórias dos alunos. Como possíveis aprendizagens obtidas pelos discentes, destacamos a apropriação de novos conceitos, como memória, quando o aluno percebe que também tem sua história; alteridade, ao reconhecer que o outro também tem sua história respeitando-a, e que a sua história está implicada em uma história coletiva; construção das noções temporais como duração, sucessão e simultaneidade. Além disso, a apreciação e valorização do patrimônio histórico que culminou na visita ao museu Júlio de Castilhos, de modo a criar um elo entre o que havíamos abordado em sala de aula, ou seja, entre a memória individual do aluno com uma história maior, além da ampliação do vocabulário em diversas atividades de alfabetização/letramento.

Edição

Seção

Artigos