Pensando o saber ancestral na umbanda: uma experiência de estágio em espaço não-formal no centro de umbanda Reino da Mãe Oxum e do Pai Ogum

Autores

  • Gabriel de Paula Brasil Unochapecó

Palavras-chave:

Internacionalização, Controle Gerencial, Indústria de Defesa, Forças Armadas

Resumo

O presente trabalho surgiu a partir do relatório de regência, proposto pela disciplina de Estágio Supervisionado I, que tem por objetivo proporcionar a vivência da prática docente em espaço não-formal. A Umbanda carece de espaços de discussão e aprendizado sobre sua própria história. De fato os praticantes se restringem em reproduzir suas práticas sem conhecer suas origens. No entanto, devido a uma série de fatores, as pessoas têm buscado mais conhecer a história de sua religião para assim fortalecer sua identidade e, sobretudo sua unidade. O Centro de Umbanda Reino da Mãe Oxum e do Pai Ogum, templo afro-religioso localizado num bairro de classe média de Porto Alegre, vai ao encontro desta perspectiva ao disponibilizar sua infra-estrutura para alcançar estes objetivos. A comunidade ao qual se destina este trabalho é a umbandista e/ou simpatizante, que é extremamente heterogênea. A execução deste trabalho reflete alguns objetivos pessoais, como a possibilidade de relatar tal experiência, analisada sob a perspectiva da educação, e talvez a criação de um instrumento para desmistificação do caráter errôneo atribuído a religião.

Edição

Seção

Artigos