Sedimentando memórias e construíndo imaginários: o poder simbólico na edificação de monumentos aos “pioneiros” no sudoeste do Paraná

Autores

  • Ronaldo Zatta
  • Leomar Rippel

Palavras-chave:

Ciencias Agrarias, Ciencias Exatas e da Terra, Engenharias

Resumo

As construções de monumentos públicos voltados à exaltação da Revolta dos Posseiros-1957 no sudoeste do Paraná, intensificados na última década por parte das autoridades regionais constit uídas, têm chamando atenção! Isso nos inspirou a discutir a relação da construção de monumentos de vínculos pioneiristas como uma forma de consolidação da memória oficial regional, tendo em consideração que o imaginário pode atuar como força reguladora da vida coletiva. Este artigo pretende discutir dois monumentos levantados na cidade de Francisco Beltrão (PR) em homenagem aos sulistas provenientes do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. O primeiro monumento referencia os pioneiros na ocasião do cinquentenário da cidade de Francisco Beltrão; o segundo faz referência aos cinquenta anos da Revolta dos Posseiros. Monumentos que aparentam ter finalidades distintas, mas que cumprem desígnios singulares, exercendo a função de perpetuação do poder político constituído na região.

Publicado

2014-06-30