Gritos no silêncio: a resistência dos ervateiros sul-rio-grandenses em defesa de suas posses

Autores

  • Cristiano Luís Christillino

Palavras-chave:

Câncer de mama. Fisioterapia. Pós-operatório.

Resumo

Neste trabalho analisamos a resistência dos ervateiros no Vale do Taquari ao longo da segunda metade do século XIX, frente a expansão da colonização sobre as suas terras de uso comum. Este grupo utilizou primeiramente a articulação política para impedir a demarcação de suas terras pelos colonizadores locais, através da pressão sobre a Câmara Municipal, denunciando as grilagens e barganhando as suas terras com as suas contribuições à economia local e ao Estado, ao qual serviam como soldados nos conflitos externos. E num segundo momento, se valeram do contexto da Revolução Federalista para, através de motins, demarcar o seu espaço de atuação naquela localidade. Estes focos de resistência e de conflito conseguiram retardar a colonização sobre as suas áreas por algumas décadas.

Publicado

2014-07-04

Edição

Seção

Artigos