Memórias impressas de guerras e guerrilhas nos confins do mundo rural: a Cabanada pernambucana-alagoana nas letras do mundo urbano (1832-1835)

Autores

  • Janaina Cardoso de Mello Universidade Federal de Sergipe (UFS)

Resumo

No espaço rural geográfico fronteiriço entre Pernambuco e Alagoas que eclode em 1832 uma rebelião rural denominada Cabanada. Esse movimento social provinha das tensões entre os grupos políticos regionais compostos por liberais e restauradores. A guerra repercutiu nas páginas de periódicos provinciais promovendo o temor de presidentes e demais segmentos sociais. Mantendo as tradições de uma escrita política lusa os periódicos urbanos oitocentistas destratavam os cabanos rurais. Por isso, este artigo tem como objetivo a análise dos sentidos produzidos pelo discurso impresso em sua relação de apropriação e representação do real contido no movimento cabano.

Biografia do Autor

Janaina Cardoso de Mello, Universidade Federal de Sergipe (UFS)

Pós-Doutoranda em Estudos Culturais na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Doutoranda em Ciência da Propriedade Intelectual na Universidade
Federal do Sergipe (UFS). Doutora em História Social pela UFRJ; Professora Adjunta da Graduação em Museologia na UFS e dos Mestrados em História na UFS e na Universidade Federal de Alagoas (UFAL).

Publicado

2015-07-28