Memórias de mulheres quilombolas: a reconstrução histórica da Toca de Santa Cruz (SC)

Autores

  • Gisely Pereira Botega Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Cristiana de Azevedo Tramonte Universidade Federal de Santa Catarina

Resumo

Esta pesquisa discute a reconstrução histórica da comunidade quilombola Toca de Santa Cruz, localizada no município de Paulo Lopes, em Santa Catarina, a partir das memórias de mulheres negras. Guiadas por uma abordagem de pesquisa etnográfica, priorizamos a observação participante, o registro no diário campo, entrevistas semiestruturadas e a construção de um livro criado em conjunto com alguns netos dessas mulheres, crianças quilombolas com as quais convivemos em uma escola localizada no entorno do quilombo sendo parte integrante da pesquisa realizada. Observamos os vários mecanismos de constituição da historicidade fortemente consolidadas na ancestralidade, registradas pela memória das mulheres negras idosas do grupo, o que possibilita a comunidade quilombola a enfrentar a invisibilidade e o racismo. Observou-se que essas mulheres estão envolvidas na educação e cuidado dos netos no contra turno da escola, ocupam lugar de liderança e contribuíram para o processo de legitimação e reconhecimento da comunidade como quilombo no período entre 2009 e 2012.

Biografia do Autor

Gisely Pereira Botega, Universidade do Estado de Santa Catarina

Professora colaboradora do Centro de Educação a Distância da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), na linha ensino e formação de professores/as (Bolsista FUMDES). Integrante do Núcleo de pesquisas e estudos sobre violências (NUVIC) CED/UFSC.

Cristiana de Azevedo Tramonte, Universidade Federal de Santa Catarina

Professora Associada do Centro de Ciências da Educação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Publicado

2015-07-28