Solidariedade e morte: Matriz de Camaragibe-AL (1950-1970)

Autores

  • Messias Bernardo da Silva Faculdade Integrada da Vitória de Santo Antão.

Palavras-chave:

ritual, tatuagem, modificações corporais.

Resumo

Este artigo é parte de uma pesquisa que está sendo desenvolvida na Mata Sul Pernambucana e Norte da Alagoas, que tem como objetivo pensar e historicizar as práticas fúnebres nessas localidades entre os anos de 1860 e 1920. Buscando pensar que a morte não é um evento único e homogêneo e que no período pesquisado ela foi vivenciada de forma extremamente complexa e multifacetada onde o sagrado e o profano se aproximavam de maneira, muitas vezes, a se confundir. Uma morte vivenciada, ritualizada por ritos não institucionalizados, uma religiosidade criada muitas vezes a partir da falta, ou seja, da ausência de líderes religiosos (padres/pastores) na condução a uma “boa morte”.

Biografia do Autor

Messias Bernardo da Silva, Faculdade Integrada da Vitória de Santo Antão.

Graduado em história pela Faculdade de Formação de Professores da Mata Sul e Especialista em Ensino da História do Brasil pela Faculdade Integrada da
Vitória de Santo Antão.

Publicado

2015-07-28