Casas de farinha e farinhadas: cultura material, história oral e memória

Autores

Palavras-chave:

história, memória, passado, documento, narrativa, esquecimento, temporalidades, rastro.

Resumo

O presente artigo trata de maneira bastante clara de uma prática ainda existente, mas em rápida decadência, no meio rural do Ceará. As casas de farinha e as farinhadas são, hoje, espaços de memória no meio rural e momentos de sociabilidades respectivamente. Sua importância na agricultura de subsistência nos sertões do Ceará é descrita e analisada levando em consideração aspectos da cultura material e recortes da memória dos personagens envolvidos nesta prática. Procedimentos da História Oral foram utilizados para melhor percebermos os significados simbólicos construídos em torno do nosso objeto.

Biografia do Autor

Francisco Evandro de Araújo, Universidade Estadual de Ceará - UECE

Graduado e Especialista em História pela Universidade Estadual de Ceará (UECE). Membro do Grupo de Pesquisa História, Cultura, Memória e Educação
(HICUME) da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB – Redenção), vinculado ao CNPq. Professor na Faculdade Maciço de Baturité (FMB).

Publicado

2015-07-28