Tensões entre o antigo e o moderno: memória, cacau e minério no Sul da Bahia

Autores

  • Valdineia Oliveira dos Santos Professora de história do núcleo pedagógico da Rede Anísio Teixeira
  • Rute Oliveira dos Santos

Resumo

Esse artigo tem como propósito discutir memória e cultura na região sul do estado da Bahia partindo da problemática que se formou em torno da implantação de uma empresa de minérios em terras, que antes abrigavam a agricultura familiar e a produção de cacau. Entre os anos de 1890 e 1930 essa região foi totalmente dedicada ao cultivo do cacau, no presente vê-se que os elos com esse passado já se rompeu e as fazendas de cacau tornaram-se “lugares de memória”, segundo a acepção conceitual do teórico Pierre Nora. A instalação dessa empresa metamorfoseou o espaço rural e alterou suas relações sociais e culturais provocando mudanças substanciais à economia urbana local e microrregional. Portanto, trata-se de uma análise que focaliza as reelaborações socioculturais após mudanças na  estrutura produtiva no espaço rural.

Biografia do Autor

Valdineia Oliveira dos Santos, Professora de história do núcleo pedagógico da Rede Anísio Teixeira

Mestre em Memória, linguagem e sociedade pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia.

Rute Oliveira dos Santos

Especialista em Ensino de Geografia pela Universidade Estadual de Santa Cruz.

Publicado

2015-07-28