Instrução pública no município de Alcântara – MA: um estudo dos mapas de matrícula e frequência entre 1825 a 1841

Autores

  • Ricardo Costa de Sousa Universidade Aberta do Brasil. Atualmente, Tutor Presencial.

Resumo

Escritos sobre a História da Educação têm investido esforços na tentativa de compreender as fontes e construir uma historiografia que possibilite perceber o movimento da educação a partir de sujeitos que foram invisibilizados. Dessa forma, o presente artigo busca apresentar a partir dos Mapas de Matrículas e de Frequência a Instrução Pública entre 1825 a 1841 no município de Alcântara, Estado do Maranhão. As fontes aqui utilizadas têm o interesse de exumar acontecimentos, fatos, resquícios, ou mesmo, indícios dessa movimentação. Contou-se também com obras de estudiosos tais como: Faria Filho (2007), Cruz (2008) e Veiga (2008) na tentativa de realizar um diálogo teórico com as fontes. Para tanto, buscou-se no Acervo Documental do Arquivo Público do Estado do Maranhão (APEM) esses indícios que possibilitassem captar, até mesmo, os “silenciamentos das fontes” no que concerne à questão educacional, sobretudo, da população negra desse município.

Biografia do Autor

Ricardo Costa de Sousa, Universidade Aberta do Brasil. Atualmente, Tutor Presencial.

Pedagogo pela Faculdade de Educação Santa Teresinha - FEST, Especialista em Metodologia do Ensino Superior pelo Instituto de Ensino Superior Franciscano - IESF e em Gestão de Políticas Públicas em Gênero e Raça pela Universidade Federal do Maranhão - UFMA, Mestre em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS. Militante do Centro de Cultura Negra Negro Cosme – CCNNC em Imperatriz – MA.

Publicado

2016-06-06