O Complexo Arqueológico de Palestina de Goiás/Brasil – uma avaliação dos conjuntos líticos mais antigos em contextualização macrorregional

Autores

  • Sibeli Aparecida Viana PUC Goiás/IGPA Pontificia Universidade Católica de Goiás/Instituto Goiano de Pré-História e Antropologia
  • Marcos Paulo M. Ramos Universidade de Paris X – Nanterre
  • Julio Cezar Rubin de Rubin Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-Goiás) – Instituto Goiano de Pré-História e Antropologia e Programa de Pós-Graduação em Mestrado em Ciências Ambientais e Saúde da PUC-Goiás.
  • Maira Barberi Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-Goiás) – Instituto Goiano de Pré-História e Antropologia e Programa de Pós-Graduação em Mestrado em Ciências Ambientais e Saúde da PUC-Goiás.
  • Eric Boëda Docente e pesquisador da Universidade de Paris X – Nanterre

DOI:

https://doi.org/10.22562/2016.45.07

Palavras-chave:

Estratégia, inovação, vantagem competitiva

Resumo

Neste artigo apresentamos resultados iniciais advindos da retomada de pesquisa arqueológica no município de Palestina de Goiás (Região Arqueológica de Caiapônia). Apesar da expressiva abrangência temática da pesquisa na região, este trabalho foca na variabilidade tecnológica presente nos conjuntos líticos de dois sítios da região: GO-Cp-16 e GO-Cp-17 e seus aspectos geomorfológicos. Esses sítios são relacionados ao período do Holoceno Médio e a cultura material aqui analisada foi, majoritariamente, obtida pelas escavações realizadas entre 1979 e 1981. Também traz reflexões sobre o contexto macrorregional em que estes sítios se encontram.

Biografia do Autor

Sibeli Aparecida Viana, PUC Goiás/IGPA Pontificia Universidade Católica de Goiás/Instituto Goiano de Pré-História e Antropologia

Docente e pesquisadora da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-Goiás) – Instituto Goiano de Pré-História e Antropologia e Programa de Pós-Graduação em Mestrado em História.

Marcos Paulo M. Ramos, Universidade de Paris X – Nanterre

Bacharel em Arqueologia pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-Goiás) e Mestre em História pela Universidade Federal de Goiás. Doutorando na Universidade de Paris X – Nanterre.

Julio Cezar Rubin de Rubin, Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-Goiás) – Instituto Goiano de Pré-História e Antropologia e Programa de Pós-Graduação em Mestrado em Ciências Ambientais e Saúde da PUC-Goiás.

Docente e pesquisador da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-Goiás) – Instituto Goiano de Pré-História e Antropologia e Programa de Pós-Graduação em Mestrado em Ciências Ambientais e Saúde da PUC-Goiás.

Maira Barberi, Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-Goiás) – Instituto Goiano de Pré-História e Antropologia e Programa de Pós-Graduação em Mestrado em Ciências Ambientais e Saúde da PUC-Goiás.

Docente e pesquisadora da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-Goiás) – Instituto Goiano de Pré-História e Antropologia e Programa de Pós-Graduação em Mestrado em Ciências Ambientais e Saúde da PUC-Goiás.

Eric Boëda, Docente e pesquisador da Universidade de Paris X – Nanterre

Docente e pesquisador da Universidade de Paris X – Nanterre.

Publicado

2016-12-16