A voz que sussurra: fugas e outras formas de agência e resistência dos ingênuos em Palmas/PR

Autores

  • Maria Claudia de Oliveira Martins UPF- Universidade de Passo Fundo

DOI:

https://doi.org/10.22562/2017.46.05

Palavras-chave:

Terapia assistida por animais, Fisioterapia, Síndrome de Smith-Lemli-Opitz.

Resumo

O presente artigo analisa as fugas e outros modos de ação e resistência evidenciados nos processos de tutela de ingênuos em Palmas, província do Paraná, os quais permitiram entrever tentativas de fazer-se ouvir, de exercer seus direitos de
escolha. Um sussurro, diante de tantas vozes e legislações que cercearam a liberdade concedida aos filhos das escravas pela Lei de 1871, mas que ecoa até a atualidade.

Biografia do Autor

Maria Claudia de Oliveira Martins, UPF- Universidade de Passo Fundo

Mestranda em História pela Universidade de Passo Fundo (UPF). Bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
(CAPES).

Publicado

2017-06-01

Edição

Seção

Artigos