Proposta de sequência tecnocultural da Serra da Capivara (Piauí) do Pleistoceno final ao Holoceno recente

Autores

  • Marina Pagli Université Paris Ouest Nanterre La Défense/França
  • Lívia de Oliveira e Lucas Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF) e Universidade Federal de Sergipe (UFS).
  • Antoine Lourdeau Muséum National d’Histoire Naturelle/França e Programa de Pós-graduação de Arqueologia da Universidade Federal de Sergipe (UFS).

DOI:

https://doi.org/10.22562/2016.45.10

Palavras-chave:

Formação de professores. Diretrizes Curriculares Nacionais. Reestruturação curricular.

Resumo

O potencial arqueológico excepcional da região da Serra da Capivara, no Piauí, já foi demonstrado em numerosas publicações, principalmente enfocadas nas representações rupestres dos abrigos (as “tocas”) e nas ocupações pleistocênicas, entre as mais antigas da América. Propomos aqui outra abordagem da pré-história da área, com uma apresentação das características e das mudanças dos sistemas técnicos ao longo da sequência de ocupação, do Pleistoceno final ao Holoceno recente. Baseamo-nos na análise direta dos vestígios líticos de três sítios (Toca do João Leite, Toca da Ema do Sítio do Brás, Toca do Baixão da Ana Maria) e nos dados acessíveis na bibliografia sobre outros sítios. A dúzia de sítios arqueológicos considerados nesse estudo abrange todo o período de ocupação da Serra da Capivara durante a pré-história. Podemos assim propor um novo olhar sobre a sequência técnica regional, que divide-se em quatro grandes momentos.

Biografia do Autor

Marina Pagli, Université Paris Ouest Nanterre La Défense/França

Université Paris Ouest Nanterre La Défense/França

Lívia de Oliveira e Lucas, Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF) e Universidade Federal de Sergipe (UFS).

Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF) e Universidade Federal de Sergipe (UFS).

Antoine Lourdeau, Muséum National d’Histoire Naturelle/França e Programa de Pós-graduação de Arqueologia da Universidade Federal de Sergipe (UFS).

Muséum National d’Histoire Naturelle/França e Programa de Pós-graduação de Arqueologia da Universidade Federal de Sergipe (UFS).

Publicado

2016-12-16