Diminui a araucária e a saúde enfraquece: extração madeireira e saúde Kaingang

Autores

  • Bruna Gama Gavério UFSC

DOI:

https://doi.org/10.22562/2018.48.03

Resumo

Habitada majoritariamente pelo povo Kaingang, a Terra Indígena Xapecó/SC está localizada no oeste do estado de Santa Catarina. A região passou por grandes mudanças socioeconômicas, culturais e ambientais desde a chegada de imigrantes europeus. As políticas desenvolvimentistas efetuadas pelo Estado no decorrer do contato estabelecido com as populações indígenas e transformações nas suas práticas culturais cotidianas ocorreram principalmente na dieta alimentar e na saúde do povo, isso em conjunto com a dinamicidade das culturas, sobretudo quando elas estão em constante interação. Na Terra Indígena Xapecó este contexto se dá após o ano de 1941 com a instalação do Posto Indígena, por meio do intervencionismo de estado com o Serviço de Proteção ao Índio.

Biografia do Autor

Bruna Gama Gavério, UFSC

Acadêmica do curso de História da Universidade Federal de Santa Catarina/UFSC. Atualmente estagiária do Museu do Judiciário - Tribunal de Justiça de Santa Catarina. Bolsista de Iniciação científica nos anos de 03/2013 até 07/2016, dentro do projeto OBEDUC “Ensinos, saberes e tradição: elementos a compartilhar nas escolas da Terra Indígena Xapecó/SC”, financiado no âmbito da CAPES/DEB/INEP. No Laboratório de História Indígena/LABHIN/UFSC.

Publicado

2018-06-04

Edição

Seção

Artigos