O discurso da insegurança: os imigrantes perigosos – uma etnografia no Bairro Veronetta (Verona, Itália, 2015-2016)

Autores

  • Fabiane Cristina Albuquerque Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.22562/2018.49.07

Resumo

Atualmente, a maneira mais difusa de representar a imigração é aquela da metáfora de uma “invasão”, criada por diversas estruturas de poder (mídia, governos, partidos políticos). Este artigo contribui para a reflexão sobre a recepção desse discurso pelos próprios imigrantes em uma realidade delimitada, o bairro Veronetta (na cidade de Verona, Itália), escolhido entre os anos de 2015 e 2016 como campo de pesquisa para uma etnografia ao longo de quatro meses. O objetivo era entender se os imigrantes desse bairro incorporavam ou não a representação dominante sobre eles próprios ligada ao problema da segurança, da ameaça à ordem, do “roubo” dos postos de trabalho e, ainda, se viam ou não a si mesmos nessa representação, e quais as resultantes formas de resistência ou os fatores que influenciavam na reprodução de tais discursos. A escolha do campo em questão se deu através da experiência da pesquisadora como imigrante na cidade e por frequentar Veronetta que, segundo dados da Prefeitura de Verona, tem o maior índice de imigrantes por habitantes autóctones, carregando o estigma de ser um bairro “de má fama”, “perigoso” e “inseguro”.

Biografia do Autor

Fabiane Cristina Albuquerque, Universidade Estadual de Campinas

sou Fabiane C. Albuquerque, graduada em Ciencias Sociais, pela Universidade Federal de Goias, Master universitario pela Universidade Degli Studi di Verona em Pedagogia Intercultural, Master pela Universidade Degli Studi di Verona em filosofia, Mestrado em sociologia pela Unicamp e doutoranda em sociologia pela Unicamp. tambem tenho graduaçao em pedagogia, experiencia profissional com imigrantes na Italia e pesquisa na mesma area.

Publicado

2018-12-04