A formação socioeconômica da região Oeste de Santa Catarina – uma narrativa acerca de franjas e retalhos da identidade regional

Autores

  • Arlene Renk Universidade Comunitária da Região de Chapecó - Unochapecó
  • Silvana Winckler Unochapecó, mestrado em Ciências Ambientais e em Direito

DOI:

https://doi.org/10.22562/2018.49.01

Palavras-chave:

Ensino de Geografia, Boletim Geográfico, Discurso, Didática, Neoliberalismo

Resumo

O texto aborda as transformações socioeconômicas da Região Oeste Catarinense, enfatiza relacionalmente os processos sociais que construíram e seguem construindo os eventos econômicos na região. Mostra as heterogeneidades de processos, e a erosão da economia substantiva com a instituição da economia formal, a substituição das formas solidárias de trabalho pelo assalariamento e a consolidação desta. Aponta a transformação da agricultura e a instalação da agroindústria. Como não poderia deixar de ser, também o meio ambiente do trabalho, principalmente nas grandes indústrias, mostra a outra face de Jano, com o adoecimento e as lesões que afetam os trabalhadores. Por fim, registra-se o ingresso da mão de obra Kaingang e de haitianos e senegalês no contexto regional.

Biografia do Autor

Arlene Renk, Universidade Comunitária da Região de Chapecó - Unochapecó

Professsora Unochapecó. Programa de Ciências Ambientais e em Direito

 

Silvana Winckler, Unochapecó, mestrado em Ciências Ambientais e em Direito

Mestrado e Direito. Doutorado em Filosofia do Direito. Atua nos programas de pós-graduação em Cências Ambientais e em Direito.

Publicado

2018-12-04