Práticas de “racialização” observadas em narrativas de camponeses que se deslocaram na década de 1950 a cidade de Sobral/Ceará

Autores

  • Maria Antonia Veiga Adriao Professora Adjunta da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA)

DOI:

https://doi.org/10.22562/2018.49.09

Resumo

Neste artigo, analiso práticas de “racialização” observadas em narrativas de migrantes que entrevistei para a pesquisa de doutorado, quando investiguei o movimento migratório realizado por camponeses moradores da região “Sertão Centro Norte Cearense” que, em grande medida, teve como destino a cidade de Sobral, também situada nessa região. As fontes que trouxe para este artigo foram narrativas orais; relatórios demográficos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e uma bibliografia interdisciplinar que ajudaram a compreender como os entrevistados colocaram em prática seu aprendizado geracional para justificarem suas escolhas na convivência social nessa cidade.

Biografia do Autor

Maria Antonia Veiga Adriao, Professora Adjunta da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA)

Doutora em História Social Universidade Federal do Ceará (UFC) com Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) bolsa Capes/Procad. Mestre em História Regional pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Porfessora adjunta do Curso de Licenciatura em História da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA), atuo na área de ensino de História coordenando e orientando os estágios supervisionados obrigatórios ensinos fundamental e médio com a seguinte pesquisa: Continuidades e descontinuidades das políticas educacionais, cultura escolar e do ensino de História, com apoio do Laboratório de Ensino e Aprendizagem de História (LEAH) o qual também coordeno.

Publicado

2018-12-04