A Legação brasileira em Berlim (1931-1935): o cotidiano diplomático em um país em transformação

Autores

  • Peter Johann Mainka Julius-Maximilians-Universität Würzburg/Alemanha (JMUW) Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

DOI:

https://doi.org/10.22562/2019.50.01

Palavras-chave:

Sustentabilidade, Milho crioulo, Território do Milho Crioulo, Agricultores camponeses

Resumo

Desde o século XVI a história do Brasil e a da Alemanha são relacionadas, apresentando paralelas, convergências e conexões (pessoais). Na década de 1930, os dois países passaram por transformações políticas profundas, que resultaram no estabelecimento de novos governos nos dois países – governos nacionalistas, autoritários e anticomunistas. Com base nesses valores compartilhados e em uma base ideológica semelhante, o Brasil e a Alemanha estiveram, na década de 1930, ainda mais próximos um para o outro. Essa proximidade e a simpatia mútua manifestam-se também na atuação da Legação brasileira em Berlim, cujos registros no Arquivo Histórico do Itamaraty no Rio de Janeiro são a base documental deste artigo.

Biografia do Autor

Peter Johann Mainka, Julius-Maximilians-Universität Würzburg/Alemanha (JMUW) Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Professor da Julius-Maximilians-Universität Würzburg (JMUW) – Alemanha, professor visitante na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)– Brasil. Mestre e doutor pela JMUW. 

Publicado

2019-06-05