Da conciliação trabalhista à resistência brizolista: o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) na região Oeste de Santa Catarina (1950-1965)

Autores

  • Claiton Marcio da Silva UFFS
  • Carla Aparecida Rigo

DOI:

https://doi.org/10.22562/2019.50.04

Palavras-chave:

Contabilidade, cooperativismo, aspectos tributarios

Resumo

O presente trabalho tem por objetivo analisar o surgimento da influência de Leonel de Moura Brizola na política de Chapecó/SC entre 1950 e 1965. Neste sentido, este artigo aborda o período compreendido entre o surgimento do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) e sua atuação conciliadora ao longo da década de 1950, até o crescimento da influência de Brizola em nível nacional enquanto um dos símbolos da resistência política através da “Campanha da Legalidade” e a criação do “Grupo dos Onze Companheiros”. A violência – física ou simbólica – é o fio condutor desta narrativa, argumentando como a história política local foi permeada pela perseguição aos grupos trabalhistas – também considerados “comunistas” por parte de grupos conservadores. Se em 1950 a influência conciliadora de Getúlio Vargas (pós-Estado Novo) ou de Alberto Pasqualini forneceu a linha do partido, ao final daquela década, uma nova geração de jovens na região Oeste de Santa Catarina adentrou na vida política tendo Brizola – e seus “admiráveis discursos”, que alcançavam a região através da rádio – como referência.

Publicado

2019-06-05