Os (des)caminhos da coleção arqueológica do Museu do Ceará e da gestão de acervos arqueológicos no Estado (1932-2012)

Autores

  • Cristina Rodrigues Holanda Fundação Memorial Padre Cícero -FMPC
  • Maria Conceição Soares Meneses Lage UFPI

DOI:

https://doi.org/10.22562/2019.51.08

Palavras-chave:

Características do Orçamento, Funções do Orçamento, Satisfação com o Orçamento.

Resumo

A pesquisa realizada teve por objetivo analisar os processos de formação e preservação da coleção arqueológica do Museu do Ceará, bem como os seus desmembramentos para a formação de outras coleções, como a do Museu do Instituto do Ceará e o Instituto de Antropologia do Ceará, buscando compreender como o tratamento dado para um acervo específico pode ajudar a pensar os próprios (des)caminhos da gestão cultural de coleções arqueológicas no território cearense, bem como pode contribuir, na atualidade, para o desenvolvimento dos trabalhos arqueológicos no Brasil.

Biografia do Autor

Cristina Rodrigues Holanda, Fundação Memorial Padre Cícero -FMPC

Presidente da Fundação Memorial Padre Cícero. Mestre em História Social pela Universidade Federal do Ceará (UFC) e Especialista em Arqueologia Social Inclusiva pela Universidade Estadual do Cariri (URCA).

Maria Conceição Soares Meneses Lage, UFPI

Doutora em Arqueologia, Antropologia e Etnologia (Université Paris 1, Panthéon-Sorbonne, 1987/1990). Mestra em Arqueologia (Diplome D’études Aprofondés - Université de Paris I, Panthéon Sorbonne, 1986/1987). Especializada em Arqueologia pela Universidade Federal do Piauí (UFPI) (1983/1984) e Graduada em Química (Licenciatura e Bacharelado) pelas Faculdades de Filosofia, Ciências e Letras Oswaldo Cruz (São Paulo, 1980). É pesquisadora e conselheira científica da Fundação Museu do Homem Americano (desde 1986), e professora Titular da UFPI.

Publicado

2019-12-10